O Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE) está investigando quatro membros de uma mesma família no município de Jardim, a 540 km de Fortaleza, por supostas irregularidades em convênios com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), envolvendo cerca de R$ 1,2 milhão.

Os protagonistas das supostas irregularidades são os irmãos José Álvares Coutinho Júnior (PT), candidato derrotado à Prefeitura de Jardim em 2008, e Donizete Maria Carvalho Coutinho (PT), vereadora do município. Ambos são membros dirigentes da Fundação Francisco de Lima Botelho que, no ano passado firmou convênio com a SDA para a construção cisternas de abastecimento de água.

Através da fundação, José Álvares e Donizete Maria, com a cumplicidade de Cláudia Carvalho Coutinho, que é irmã deles e preside a fundação, teriam usado a construção das cisternas em troca de votos e em benefício de parentes. Um primo deles, Antônio Ozanan Couto, aparece em uma lista de beneficiários das cisternas. “Ele tem é um açude no quintal dele e mesmo assim foi beneficiado“, disse o vereador João Claudio Brito Coutinho (PTC), que é aliado do prefeito eleito, Fernando Neves Pereira (PMDB), e primo dos irmãos que ele acusa.

“Parceria técnica“  – Segundo a vereadora Donizete Maria, a Fundação Francisco de Lima Botelho teve apenas uma “participação técnica“ na construção das cisternas. “Não recebemos recursos“. Durante a entrevista ao O POVO, no entanto, a vereadora chegou a comentar que, por conta das denúncias, a Fundação deixou de receber cerca de “R$ 500 mil“. Donizete Maria também admitiu que sua irmã Cláudia coordena o projeto de construção das cisternas em Jardim. Mas, segundo afirma, a lista com os beneficiários das cisternas em que aparece o nome de seu primo Ozanan é falsa. “Tudo isso é perseguição política“, alega.

Fonte: O Povo Online