RIO – A produção média diária de petróleo da Petrobras no Brasil atingiu o recorde mensal de 2.003.940 barris em setembro, 12 mil barris acima do recorde anterior, de março deste ano. O volume de setembro ficou 5,6% acima da produção de setembro do ano passado e foi 1,2% superior à de agosto.

O crescimento da produção de petróleo foi puxado pela retomada de operação da plataforma Cidade de São Vicente, na área de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, e da plataforma P-19, no Campo de Marlim, na Bacia de Campos. A empresa citou ainda a entrada de um poço na plataforma de Piranema, em Sergipe, e o crescimento da produção de poços interligados às plataformas P-48 (Caratinga) e P-51 (Marlim Sul), na Bacia de Campos.

Já a produção conjugada de petróleo e gás natural da estatal no país no mês passado foi de 2.326.969 barris de óleo equivalente (boe) por dia, uma alta de 4,5% em comparação a setembro do ano passado e um crescimento de 1,3% em relação a agosto.

A produção da companhia no exterior chegou a 245.263 boe diários, 10% acima de setembro do ano passado. O crescimento é consequência da entrada em produção dos campos de Agbami e Akpo, na Nigéria. Em relação a agosto, a normalização da produção na Argentina, afetada por uma mobilização sindical, contribuiu para uma alta de 4,7% na produção da Petrobras fora do Brasil.

No total, a produção da empresa em todo o mundo no mês passado foi de 2.572.232 boe por dia, um aumento de 5% na comparação com setembro do ano passado e uma alta de 1,6% sobre agosto.

(Valor)