Um total de 1,044 milhão de clientes bancários já se cadastraram no serviço Débito Direto Autorizado (DDA) que entrou hoje em operação na rede bancária do País. A informação foi dada nesta manhã pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), durante o lançamento oficial do novo serviço, em Brasília.

O DDA permitirá aos clientes cadastrados a visualização e o pagamento de boletos de cobrança por meio eletrônico, dispensando o recebimento dos boletos impressos.

Os clientes que já se cadastraram foram informados da existência do serviço a partir de hoje pelos seus próprios bancos, mas, a partir de amanhã, a Febraban iniciará uma campanha nacional de divulgação do serviço por meio de jornais, revistas, rádios, TV e internet.

O DDA será utilizado, sempre de forma optativa pelos clientes, para o pagamento de boletos de cobrança como os de mensalidades escolares, planos de saúde, condomínios, financiamentos imobiliários e de veículos. Para cartões de crédito, o acesso inicialmente será apenas à cobrança. A fatura detalhada dos cartões só estará disponível num prazo de seis meses após a implantação do serviço.

Os pagamentos a concessionárias de serviços públicos (como fornecimento de água, energia elétrica, gás e telefone) não estão disponíveis inicialmente pelo DDA. O coordenador do grupo que montou o serviço da Febraban, Leonardo Ribeiro, explicou que o pagamento de serviços públicos e tributos ocorre por meio de um sistema bancário diferente daquele utilizado para pagamento de boletos de cobrança. “É um sistema chamado arrecadação e que tem outras regras de funcionamento”, afirmou. A Febraban informou já ter um grupo de técnicos trabalhando em soluções que permitam, no futuro, a inclusão do pagamento de impostos e serviços públicos no DDA.

De acordo com a entidade, que desenvolveu o DDA ao longo dos últimos três anos e meio, existem hoje no País cerca de 2 bilhões de boletos bancários emitidos por ano. O número inicial de 1,044 milhão de clientes cadastrados surpreendeu a Febraban. “Ficamos surpreendidos e apostamos que há um potencial muito grande para a evolução rápida desse sistema”, afirmou Ribeiro. Segundo a Febraban, atualmente há 32 milhões de contas correntes que são transacionadas pela internet banking e quase um terço de todas as operações bancárias do País ocorrem por meios eletrônicos como a rede de computadores e os caixas eletrônicos.

Fonte: Agência Estado