Bancários decidem manter paralisação, após assembleia de sexta-feria. Com a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que considerou a greve não abusiva, a paralisação que já chega ao 24° dia tende a se prolongar por mais de um mês.

O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro João Oreste Dalazen, considerou de não abusiva a greve dos bancários Caixa Econômica Federal, no fim da tarde desta sexta-feira (16). Dessa forma, a greve será mantida por tempo indeterminado. A paralisação completou 23 dias nesta sexta-feira.

Segundo o Tribunal Superior do Trabalho, a Caixa entrou na quinta-feira (15) à noite com pedido de liminar para declaração de abusividade da greve. Se ganhasse, o TST teria que determinar o imediato retorno dos empregados ao trabalho. Mas não foi o que aconteceu. Procurada a Caixa não se manifestou.

O Sindicato dos Bancários fez uma assembleia, na noite de sexta-feira, para decidir sobre a continuidade da greve. No entanto, como não houve nova proposta da Caixa Econômica, a assembleia deve ter apenas caráter informativo sobre o andamento da paralisação. O Sindicato declarou que a decisão do TST é positiva e afirmou que o banco deveria continuar com as negociações, sem recorrer a instâncias jurídicas.

A última negociação entre representantes dos bancários e a direção da
Caixa foi realizada na terça-feira (13), e não há data marcada para nova rodada. Na ocasião, a direção da Caixa apresentou uma proposta que trouxe modificações apenas em relação à Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

O Comando Nacional dos Bancários negocia com a direção do banco, em Brasília, desde quarta-feira (14), quando a Caixa apresentou uma proposta que foi rejeitada.

O ministro marcou audiência de conciliação para a próxima quarta-feira (21). No caso de não haver acordo entre as partes, ou se as partes não aceitarem a proposta que será feita pelo tribunal, um relator será sorteado para julgar o processo.

Fonte: Vooz.com.br