O caso da briga registrada entre um estudante do curso de Arquitetura da UFC e um segurança, dentro do Campus do Benfica, continua rendendo. A diretoria do DCE/UFC mandou nota para o Blog e está convocando assembleia geral dos alunos para a próxima semana. Confira:

DCE – UFC — GESTÃO DA LUTA NÃO ME RETIRO.

Na noite de sexta-feira, dia 09 de outubro, um episódio de violência ocorreu na área Curso de Arquitetura, no Campus do Benfica, envolvendo um estudante, um segurança da Instituição e seguranças da empresa privada ServArm. O conflito iniciou-se com uma discussão entre o estudante e o segurança da UFC, resultando em agressão mútua e, posteriormente, em medidas arbitrárias e flagrantemente abusivas por parte não somente do citado segurança, mas também dos funcionários da ServArm. Enquanto estudantes, é preciso lamentarmos profundamente pelo acontecido e, acima de tudo, com atitude e coerência, buscarmos compreender esse acontecimento e suas repercussões, causas e conseqüências de acordo com a realidade da política de segurança da Universidade, que afeta professores, estudantes, servidores e a própria sociedade cearense.

A política de segurança da UFC hoje se mostra completamente despreparada para a solução de conflitos que porventura existam entre pessoas que freqüentam a Universidade e, principalmente, com os estudantes, que muitas vezes são vistos pela segurança como potenciais “desordeiros” e depredadores do patrimônio público.  Os problemas com a política de segurança da Universidade têm sido freqüentes e acontecido em diversos níveis. Desde casos de abuso de poder e violência gratuita, como este citado acima e que todos reprovamos, até casos de falta total de segurança em alguns pontos. Ao invés dos estudantes se sentirem protegidos, ou pelo menos sentirem que o patrimônio da UFC está protegido, tem-se criado um clima de hostilidade e até de medo dos estudantes com relação à segurança, quando ela está presente. A Universidade, que deveria ser um espaço universalizado de sociabilidade e convivência harmônica entre todos que a compõem tem se tornado cada vez mais fechada e um ambiente cada vez menos confortável para diversos grupos de pessoas.

Os casos de repressão por parte da segurança acontecem em uma freqüência tal que já podem ser admitidos como parte da política de segurança da administração superior da Universidade. Apesar de ter se pronunciado correta e prontamente contra a atitude do segurança no caso da arquitetura, as ofensas e proibições com relação a casais de namorados homossexuais, os olhares e expressões agressivas contra mulheres, a hostilidade com que são tratados estudantes que tentam fazer confraternizações e festas na Universidade, as restrições de acesso impostas a estudantes ou não-estudantes negros, ou que não estão vestidos de acordo com os “padrões sociais” estabelecidos pela segurança universitária, entre outras questões, não são sequer comentadas pela administração superior da UFC.

Além disso, casos de falta de segurança já alarmaram toda a comunidade universitária, como, por exemplo, o mais recente do estudante de medicina que foi baleado no Porangabussu e que, como bem explicitado na nota produzida pelos estudantes deste campus, poderia ter sofrido o mesmo tipo de violência em outros lugares da UFC.

Neste sentido, o DCE da UFC, em conjunto com os estudantes de arquitetura, convida a todos os estudantes desta universidade para uma assembléia a ser realizada nesta terça feira, dia 20 de outubro, no bosque da Letras – Campus do Benfica, com o intuito de discutir todas as questões relacionadas à política de segurança da Universidade Federal do Ceará. Não podemos permitir que casos como esse se repitam e que situações como as acima citadas se perpetuem em nossa Universidade. É importantíssimo que discutamos essas questões coletivamente e que, a partir dessas discussões, pensemos em maneiras de fazer com que a atual realidade da segurança da UFC se modifique. Para isso, a participação de cada um é fundamental.

Diretoria
DCE – UFC

Fonte: Blog do Eliomar