Dezesseis dicas para alimentar-se corretamente

1º) Orientar-se sobre o que se deve comer

2º) O que não se deve comer

3º) A quantidade que se deve comer (com moderação). Não se deve ingerir mais do que a metade da quantidade de alimentos que uma pessoa julga poder absorver; isso facilita a digestão e aumenta o prazer de comer

4º) Como se deve comer

5º) Quando se deve comer

6º) Quando não se deve comer

7º) Acombinação correta dos alimentos entre si

8º) Fazer as refeições em ambiente agradável e tranquilo

9º) Aprender a gostar de alimentos de natureza pura (livre de aditivos químicos) e saudáveis como, por exemplo, os vegetais, os cereais e as frutas

10º) Ser regular nos hábitos alimentares, com o almoço, preferencialmente, ao meio-dia, quando a força digestiva se encontra mais ativa. A refeição matutina e o jantar devem ser mais leves (de fácil digestão). É recomendável esperar-se pelo menos seis horas após uma refeição completa para se comer novamente, e três horas após uma refeição leve

11º) Não “apagar” o fogo biológico digestivo – assim como o fogo é importante para cozinhar os alimentos, no interior do organismo, existe também um fogo invisível, com um papel muito importante na digestão e no metabolismo.

12º) Evitar tomar água, sucos de frutas e refrigerantes durante e após as principais refeições, pois esse procedimento muito contribui para diluir os sucos gástricos no interior do estômago e retardar o processo digestivo.

13º) Não se deve tomar água gelada durante as refeições, pois ela contribui para diminuir o fogo biológico digestivo

14º) Deve haver um correto equilíbrio ácido-alcalino

15º) Na medida do possível, compartilhar os alimentos com aqueles que têm fome. Antigamente, na Índia, era costume o chefe de família sair à porta de sua casa antes de cada refeição e gritar: prasadam (alimento), prasadam (alimento), prasadam (alimento), para que todos aqueles que tivessem fome pudessem também se alimentar. Somente depois de servir a seus convidados, ele próprio começava a comer

16º)
Evitar o desperdício

Fonte: Vya Estelar