O prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR), afirmou nesta terça-feira, 13, já estar comunicando ao seu secretariado que, a partir de 4 de abril próximo, a data-limite para desincompatibilizações, dará adeus ao cargo. Ele disse que já está como “pré-candidato a governador do Ceará” e que essa sua postulação “é pra valer”.

Indagado se tudo não passa de um factóide para ganhar espaço político, Roberto Pessoa reagiu: “Não. Eu já tô com 66 anos e não tenho idade para aventuras. A minha disposição é sair candidato mesmo”, reforçou o prefeito, que esteve no jantar que a ministra Dilma Rousseff oferceu para a bancada federal do PR nessa noite de terça-feira, em Brasília. Nesse mesmo compromisso, esteve o ex-governador e dirigente estadual do PR, Lúcio Alcântara.

Roberto adiantou que, como pré-candidato, vai procurar construir uma aliança alternativa à tese de candidatura única que se desenha em torno do governador Cid Gomes. Disse estar conversando com lideranças de vários partidos e com prefeitos. Informou que, durante o feriadão, esteve na Região do Maciço de Baturité já com esse objetivo.

Já o presidente regional do PR, Lúcio Alcântara não só incentiva uma postulação de Roberto Pessoa como diz ser “fundamental” para que o povo do Ceará possa ter opção. Tanto Lúcio como Roberto são simpáticos ao nome da ministra Dilma Rousseff para presidente da República e consideram necessária a formação de um palanque para a futura candidata no Estado.

Eles seguem a tese de que o governador Cid Gomes acabará apoiando seu irmão, o presidenciável Ciro Gomes que, nas várias entrevistas já concedidas, reitera como irreversível sua postulação.

Lúcio chegou a admitir que, caso a construção de uma aliança seja formatada em torno de Roberto Pessoa, ele repensará o projeto de disputar uma cadeira de deputado federal. “No tempo certo, vamos avaliar isso. Não descarto nada”, reagiu, ao ser perguntado se poderia tentar uma vaga de senador em 2010.

Fonte: O Povo Online