A manifestação do governador Cid Gomes (PSB), exposta em reunião com a bancada estadual do PMDB ao admitir a hipótese de não concorrer à reeleição, como registrou com exclusividade este portal na semana passada, é destaque, hoje, na coluna Informe DF, do jornalista Luiz Carlos Azedo, no jornal Correio Braziliense.

O colunista Luiz Carlos Azedo revela que a ameaça de Cid Gomes nasceu com as pressões do PT que mandou o recado que, se Ciro Gomes se mantiver candidato a presidente da República, o Partido dos Trabalhadores(PT) apresentará um nome ao Governo do Estado para inviabilizar sua reeleição. O PMDB, inclusive o presidente regional deputado Eunício Oliveira, que participou da reunião com Cid Gomes ficou surpreso ao ouvir, do próprio Cid, as dúvidas sobre o seu futuro político e a ameaça de desistir de concorrer a um novo mandato no Palácio Iracema.

A reação de Cid não pode ser levada ao pé da letra porque, hoje, ele tem apoio de 44 dos 46 deputados estaduais, de 18 dos 22 deputados federais, dos três senadores e da maioria dos prefeitos do Caerá. Seria apenas uma ameaça para intimidar o PT que tenta forçá-lo a pressionar seu irmão, deputado Ciro Gomes a desistir de disputar o Planalto em 2010.

Há, porém, entre aliados e oposicionistas do governador Cid Gomes, a expectativa sobre o desdobramento da crise surgida a partir das declarações do ex-ministro da casa Civil, José Dirceu, que, ao passar por Fortaleza, deixou o recado: se Ciro for candidato a presidente da República, o PT terá candidato ao Governo do Estado. Dirceu tem repetido por todos os estados sua ameaça: ou Ciro desiste ou o PT vai ter candidato a governador onde o PSB tem chances reais de vitória, caso do Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Em meio a esse cenário de dúvidas, especulações e incertezas, os tucanos cearenses vivem na esperança de ver rompida a aliança PT e PSB para desembarcar na campanha da família Ferreira Gomes e viabilizar com maior tranquilidade o futuro político do senador Tasso Jereissati. E, hoje, esse cenário é revelado na notícia do jornal Correio Braziliense, como você pode conferir abaixo:

Xeque – O governador do Ceará, Cid Gomes, em reunião com deputados estaduais, ameaçou não se candidatar à reeleição se o PT lançar a candidatura da prefeita de Fortaleza, Luiziane Lins, em retaliação ao seu apoio à candidatura do irmão, Ciro Gomes. O gesto foi interpretado como uma ameaça de apoio ao tucano Tasso Jereissati (foto), aliado histórico dos Gomes, que pode ser candidato ao governo do estado.

Fonte: Portal Ceará Agora