Reportagem da Folha

Governador afirma que o “Brasil perdeu” sua capacidade de planejamento

CATIA SEABRA

DA REPORTAGEM LOCAL

Reunido com um grupo de empresários, o governador de São Paulo, José Serra, criticou ontem o governo federal por falta de planejamento e controle de gastos. Ignorando a presença de jornalistas na reunião com integrantes do Movimento Brasil Competitivo, Serra atribuiu a paralisação de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) a falta de planejamento e acusou o governo de inflar investimentos.

Após anunciar uma economia de R$ 518 milhões como produto do programa de melhoria da qualidade dos gastos, o governador disse: “Fico pensando na margem de manobra que haveria na esfera federal”.

“Em 2011, a gente conversa”, brincou o presidente do Grupo Orsa, Sérgio Amoroso.

“Quem sabe? Porque isso não existe na esfera federal”, respondeu o governador.

Sem citar o nome da ministra Dilma Rousseff -sua potencial adversária na disputa presidencial-, Serra disse que o “Brasil perdeu” a capacidade de planejamento. “Agora, por exemplo, o TCU impugnou dezenas de obras federais. Não impugnou o Rodoanel”.

Afirmando que pretende criar um manual de boas práticas de gestão, Serra lembrou que a participação do governo federal para o Rodoanel é de R$ 1,2 bilhão em R$ 4,4 bilhões. E reclamou: “No PAC, quando eles medem -daí, a propaganda do PT na TV-, eles apresentam o conjunto do rodoanel como uma obra federal”.

Nanico – Já o presidente estadual do PSDB, Mendes Thame, reagiu à reedição de propaganda do PT que contabiliza um investimento federal de R$ 100 bilhões em São Paulo. Em nota, diz que “o PT perdeu a noção”. “Deve ser já a influência do seu novo líder, Ciro Gomes, neopaulista e nanico da Dilma”.

Thame criticou o governo federal por incluir empréstimos, gastos do Estado e de prefeituras na sua cota. Segundo a nota, o governo Lula investiu apenas R$ 1,9 bilhão do Orçamento de 2009 no Estado.

Fonte: Blog do Nassif