O ministro Fernando Haddad (Educação) confirmou nesta terça-feira (6) as datas de aplicação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio): dias 5 e 6 de dezembro. A prova, que estava prevista para ocorrer nos dias 3 e 4 de outubro acabou adiada por vazamento de seu conteúdo.

A confirmação foi feita após uma reunião com o ministro Tarso Genro (Justiça), na tarde de hoje. No encontro, os ministros acertaram a participação da Polícia Federal na execução da prova, para garantir a segurança.

“A Força Nacional e a Polícia Federal estão à disposição do Ministério da Educação para acompanhar todas as etapas do processo, desde a saída das provas dos cofres do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira]”, afirmou Haddad.

Os Correios farão a distribuição dos lotes de exame a todo o país, em uma operação especial, semelhante à que é montada para a distribuição de urnas de votação nas eleições. “Será feita pelos Correios uma operação especial de distribuição, para cercar de todas as garantias”, disse o ministro.

Vestibulares em 5 e 6 de dezembro – Na data prevista para o novo Enem 2009, estão marcadas provas dos vestibulares da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), da UnB (Universidade de Brasília) e das Fatecs (Faculdades de Tecnologia) de São Paulo, por exemplo.

“Contatamos os reitores da UFJF, da UFSC e da UnB e tivemos liberação das datas para aplicação da prova”, afirmou o ministro. Segundo o ministro, a postura dos reitores foi “muito colaborativa”. “Liberar a data significa dizer que, em proveito de um projeto estratégico para o país, estamos dispostos a ajustar o nosso calendário.”

Haddad lembrou que as universidades têm autonomia para decidir o calendário dos processos seletivos. Segundo ele, a pasta vai entrar em contato com as demais instituições com vestibulares previstos para os dias 5 e 6 de dezembro.

Uma reunião com os novos responsáveis pela prova, a Fundação Cesgranrio e o Cespe, ocorrerá ainda nesta terça, para discutir a questão da correção do exame. “Vamos discutir exatamente essa questão da divulgação dos resultados. Mas nós não adiaremos o cronograma previsto inicialmente, de 60 dias, o que vamos fazer é acomodar o cronograma original para que a prova se realize e os resultados sejam publicados sem prejuízo do início do ano letivo do ano que vem”.

O Exército também se colocou à disposição do MEC para ajudar, caso o planejamento dos Correios encontre algum “ponto de vulnerabilidade”. O ministro agradeceu a “solidariedade” recebida de vários ministérios e a creditou à importância do exame.

“O Enem tem uma importância estratégica para a educação do país que é notável. O desafio do Estado brasileiro é garantir que esse ícone seja reconhecido como tal, respeitado, seguro e consiga proporcionar à juventude um rito de passagem da educação básica para a superior, de forma segura.”

Fonte: Noticias Uol