CARACAS, Venezuela — Três estudantes venezuelanos se acorrentaram nesta segunda-feira diante da embaixada do Brasil em Caracas, durante oito horas, para pedir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que interceda para permitir a visita de uma delegação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos à Venezuela.

Os estudantes foram recebidos pelo embaixador Antonio José Simões, que, segundo a imprensa local, teria prometido enviar a Lula o documento entregue pelos três, que pede ainda a libertação dos “presos políticos”.

“Dissemos ao embaixador que não nos engane, que cumpra o que prometeu e que faça chegar ao presidente do Brasil o nosso pedido”, revelou Luis Magallanes, um dos três estudantes.

O pedido entregue ao embaixador brasileiro é o mesmo que levou um grupo de 150 estudantes a realizar uma greve de fome, de uma semana, e que terminou com uma passeata que reuniu milhares de pessoas no sábado passado, em Caracas.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, condenou no domingo o protesto dos estudantes e afirmou que estão sendo manipulados para defender “corruptos” e “assassinos” presos.

“Até que os presos políticos sejam soltos, o movimento estudantil não descansará”, garantiu nesta segunda-feira Benicio Tosar, outro estudante a protestar diante da embaixada do Brasil.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos, um organismo que monitora os direitos humanos no continente e que funciona de forma autônoma dentro da OEA, não foi autorizada a realizar uma visita à Venezuela por decisão de Chávez, apesar de numerosos pedidos neste sentido.

Fonte: Agência AFP