Ao completar uma semana de greve nacional, sobe para 114 o número de agências fechadas no Estado de Sergipe. Este é o quado apurado hoje, dia 1º, quando os bancários estão aguardando o resultado da negociação que está ocorrendo em São Paulo, entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Às 17h, o Sindicato dos Bancários de Sergipe realiza assembleia geral da categoria, no auditório em sua sede, para avaliar a reunião de negociação.

No quadro de hoje, até o meio-dia, houve  mudança apenas no Banese – Banco do Estado de Sergipe -, quando entrou em greve a agência Luiz Garcia. No Banco do Nordeste, mantêm-se fechadas 14 das 15 agências; Na Caixa, das 21 agências, apenas a de Maruim continua funcionando. No Banco do Brasil, também foi mantido o número de agências fechadas: 44 das 48 existentes no Estado.

Hoje o Sindicato direcionou seu ´exército´ de bancários para fechar a agência Central do Bradesco, um dos bancos que conseguiram na Justiça um interdito proibitório contra a realização da greve – o outro foi o Banese.

É importante esclarecer aos bancários que os interditos proibitórios não podem proibir a realização da greve e nem das manifestações pacíficas pelos bancários. A greve é um direito constitucional!, afirma Meirivone Aragão, assessora jurídica do Sindicato dos Bancários.

Fonte: Portal Plenário