NOVA YORK, EUA — Os magnatas dos Estados Unidos ficaram um pouco mais pobres este ano, segundo a lista da revista Forbes dos 400 mais ricos, encabeçada por Bill Gates, que em 2009 mostra o impacto da crise financeira.

O fundador da Microsoft perdeu 7 bilhões de dólares, mas ainda restam em sua conta bancária cerca de 50 bilhões. Gates ocupa o primeiro lugar da lista, seguido pelo megainvestidor Warren Buffet, dono da Berkshire Hathaway (seguros).

Buffet, por sua vez, ficou 10 bilhões de dólares mais pobre em consequência da crise, enquanto Lawrence Ellison, dono da Oracle, é o único dos dez mais ricos que pode se gabar de não ter perdido um único centavo de sua fortuna, que soma 27 milhões de dólares.

Vários membros da família Walton (Wal-Mart), o prefeito de Nova York Michael Bloomberg – que perdeu 2,5 bilhões de dólares e tem agora 17,5 bilhões – e os industriais Koch, Charles e David completam a lista.

Os outros 400 vão desde o jovem Mark Zuckerberg, que aos 25 anos possui 2 bilhões de dólares graças ao Facebook, a John Kluge, bilionário de 95 anos e membro mais velho do grupo, cuja idade média é 65,8 anos.

A edição 2009 da lista Forbes demonstra com números inapeláveis que os ricos também choram: os dez primeiros perderam juntos 39,2 bilhões de dólares com a crise, que custou ao todo 300 bilhões à elite dos 400 mais endinheirados.

A queda da bolsa, o colapso do mercado imobiliário, as estafas e os divórcios são as causas principais do “empobrecimento” dos ricos, segundo a Forbes.

Na ano passado, para figurar entre os 400 mais ricos, era necessário ter pelo menos 1,3 bilhão de dólares. Este ano, é possível fazê-lo com “apenas” 950 milhões.

A Califórnia é o estado onde vivem mais membros da lista Forbes 400, com 83 magnatas radicados, seguidos por 65 em Nova York. Dos 400, 117 se divorciaram pelo menos uma vez e 11 deles pelo menos três vezes.

Fonte: Agência France Presse