São Paulo – A disposição de luta dos bancários já apresenta seus primeiros resultados, com a retomada das negociações com a federação dos bancos (Fenaban). A primeira rodada após o início da greve, que chega na sexta 2 ao seu nono dia, foi interrompida na noite de quinta 1º e será retomada na mesma sexta 2, às 11h.

O tema discutido durante todo o dia foi a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Os dirigentes sindicais apresentaram dados que demonstram que, com a atual proposta da Fenaban, o gasto dos bancos com PLR seria bem menor, assim como a distribuição para os bancários. O teto, por exemplo, que hoje é de 15%, com a proposta dos banqueiros cairia para 4%. Uma perda, que em alguns casos, chega a superar um salário.

> Conheça as reivindicações deste ano dos bancários

“Deixamos claro para os negociadores da Fenaban que os bancários não podem receber menos. O debate sobre o tema tomou toda a quinta-feira porque ao longo do dia foram feitos e confrontados vários cálculos, de ambas as partes, para tentar chegar a um formato que seja compatível com o esforço dos funcionários”, explica o presidente do SEEB/SP, Luiz Cláudio Marcolino, que integra o Comando Nacional. “Em alguns bancos, com o modelo proposto, os trabalhadores receberiam até 80% menos que no ano passado. Isso é inadmissível”, diz.

Os representantes dos bancários informaram aos bancos que, além de não aceitar PLR menor, os trabalhadores querem um modelo mais simples, com uma parcela linear do lucro, e que o valor não seja descontado dos programas próprios.

Greve – “Como não chegamos a nenhum consenso, a rodada de negociação continua nesta sexta-feira”, afirma Marcolino, destacando a importância da mobilização dos trabalhadores nesse momento. “A greve continua em todo o país e os trabalhadores devem manter o movimento forte para que os banqueiros saibam que sem proposta boa a paralisação não acaba. Os bancos, novamente desrespeitaram os trabalhadores ao não apresentar nada sobre aumento real de salário, proteção aos empregos e condições de trabalho”, destaca o presidente do Sindicato. “Eles conhecem muito bem nossas reivindicações. Esperamos que na rodada de hoje eles tragam uma proposta que pague o que devem à categoria.”

Fonte: SEEB/SP