Sem a ameaça do DEM de tomar seu mandato de deputado estadual, Edson Silva finalmente confirmou ontem na Assembleia Legislativa o que já se comentava pelos corredores da Casa: sua filiação ao PSB, partido presidido pelo governador Cid Gomes. Ele anunciou que será candidato a deputado federal e fez diversos elogios ao presidente do DEM no Ceará, Chiquinho Feitosa, a quem chamou de ” amigo“.

O secretário geral do DEM, Erivelto Souza, disse que o partido inicialmente pensou em solicitar à Justiça Eleitoral o mandato do deputado. “Mas aí houve uma negociação para que o partido não peça mais“, disse.

O entendimento foi possível porque, assim como Edson queria sair do DEM, o partido também não vinha contente com os posicionamentos do deputado há tempos. Exemplo disso foi o apoio velado à candidatura da senadora Patrícia Saboya (PDT) à Prefeitura de Fortaleza em 2008, quando Moroni Torgan também estava na disputa pelo DEM.

Outro integrante do DEM – que não quis se identificar – alegou que a saída de Edson é um “alívio“ para a legenda. “O PSB está levando o Edson Silva para que não engrosse o palanque de oposição. Isso não será bom para ele, que poderia herdar votos do Moroni e não vai mais“, disse.

Edson, que já passou pelos quadros do PDT e do PSDB, explicou que começou a pensar em sair do DEM nas eleições de 2006, quando Moroni se candidatou a senador em aliança com Lúcio Alcântara (PR), que buscava a reeleição como governador.

Na ocasião, o deputado apoiou o hoje governador Cid Gomes(PSB). “Para não ser mais desobediente, resolvi deixar o DEM e me filiar ao PSB“, explicou.

Filiação –  Quem também passou ontem pela Assembleia para um ato de filiação foi o empresário Miguel Dias de Souza, presidente do grupo Cidade de Comunicação, onde Edson Silva tem um programa de TV – os dois estão com relações estremecidas. Dias ingressou em outro partido do grupo de Cid, o PRB, e se prepara para disputar com Edson uma vaga de deputado federal.

Amanhã, o DEM deve apresentar seus novos filiados. Segundo Erivelto, serão “vinte e tantos nomes”, muitos deles ex-tucanos, como os ex-deputadosIdemar Citó e Paulo Duarte e o ex-vereador Idalmir Feitosa.

Fonte: O Povo Online