Em assembleia realizada no fim da tarde desta quinta-feira, 17, funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) do Ceará rejeitaram proposta apresentada pela ECT na tarde de ontem. A categoria reivindica 41,03% de reposição salarial, mais R$ 300 de aumento linear no piso. A proposta apresentada, válida por dois anos (agosto de 2009 a julho de 2011), previa um reajuste imediato de 9% e um aumento linear de R$ 100,00 para todos os empregados a partir de janeiro de 2010.

Veridiano Matos, coordenador de Finanças do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Ceará (Sintect-CE), acredita que o reajuste não será feito de imediato, e sim metade (4,5%) em 2009 e a outra em 2010.

A proposta da ECT previa ainda que para mais de 100 mil empregados que ocupam cargos de nível médio (na maioria carteiros, atendentes, operadores de transbordo, etc.) a assinatura do acordo representaria um aumento de salário entre 15% e 25%. Os vales-refeição, alimentação e cesta passarão a ter maior valor a partir da assinatura do acordo: passam de R$ 20 para R$ 21,50 e de R$ 110 para R$ 120, respectivamente, com pagamento retroativo a agosto de 2009. Em agosto do próximo ano os valores sobem para R$ 23 e R$ 130, de acordo com a proposta.

A ECT propôs ainda reajustar os valores do Reembolso Creche e Babá e do Auxílio para Filho Dependente de Cuidados Especiais, que passam, respectivamente, para R$ 571,74 e R$ 360,20. Porém, para Veridiano, a parte de direitos da mulher, uma das reivindicações da categoria, não foi contemplada na proposta.

Ainda de acordo com Veridiano Matos, 30% do serviço de entrega de encomendas estão garantidos. Parte das agências dos Correios da Capital está em funcionamento. Apenas o Centro de Distribuição Domiciliar, localizado na Cidade dos Funcionários, está fechado. Algumas agências do Interior do Estado também estão fechadas.

Nesta sexta-feira, às 10 horas, representantes do Sintect e trabalhadores dos Correios farão uma manifestação na Assembleia Legislativa.

Fonte: O Povo Online

Anúncios