Em 2006, uma mulher de 37 anos admitida em um centro especial para pacientes com epilepsia na Alemanha afirmou a seus médicos que se via como um homem. Esta é a primeira vez que cientistas observam e descrevem um fenômeno do tipo. A mulher sentia náusea, medo, tinha dèjá-vus, e afirmava a seus médicos que não se sentia mais como uma mulher.

“Tenho a impressão que me transformei em um homem”, dizia a mulher, que afirmava que ouvia a própria voz como um som masculino. “Uma vez, quando olhei para meus braços durante um episódio, eles pareciam masculinos, e até tinham pêlos masculinos”, afirmou a mulher certa vez aos médicos.

Além de se ver como um homem, a paciente também observou mulheres próximas se “transformarem” em homens. Os autores do estudo afirmam que uma vez ela disse ter visto uma amiga como um homem, e também percebeu mudanças na voz da amiga.

Antes de ter essas visões, a mulher não tinha nenhum tipo de problemas mentais. “A paciente nunca teve uma experiência semelhante fora das vezes que tinha convulsões”, afirma Burkhard Kasper, neurocientista da Universidade de Erlanger, na Alemanha.

Exames com ressonância magnética mostraram um tumor benigno no cérebro da mulher, que aparentemente tem relação com as convulsões causadas pela epilepsia. O tumor fica na amígdala direita do cérebro, localização que parece ter um papel importante na identificação entre humanos, como familiaridade, estado emocional e sexo.

Até o momento este é um caso isolado na ciência, mas Kasper afirma que é possível aprender muito sobre o cérebro com apenas um paciente. A mulher parou de ter as estranhas visões depois que passou a ser tratada com medicamentos específicos para a epilepsia, de acordo com Kasper. [Live Science]

Fonte: hyperscience

Anúncios