A educação no Ceará é preocupante. De acordo com dados do Sistema Permanente de Avaliação de Educação Básica do Ceará (Spaece) 2008, 80% dos estudantes do Ensino Médio que se submeteram à avaliação tiveram rendimento crítico ou muito crítico. Na avaliação de Matemática os números são alarmantes, uma vez que 85% dos estudantes não têm domínio sobre as quatro operações matemáticas e somente 2,5% atingiram o nível desejado.

Em relação a Língua Portuguesa, 80% dos alunos de Ensino Médio das escolas públicas do Estado só lêem frases curtas na ordem direta e não sabem desenvolver textos simples. Apenas 2,8 % atingiram o nível desejado na avaliação.

O Diário do Nordeste denunciou, com exclusividade, nas edições de segunda (13) e terça-feira (14) que a educação e saúde são as áreas que mais enfrentam problemas em Fortaleza.

Para a secretária da Educação Básica, Izolda Cela, o baixo índice de eficiência dos estudantes, está relacionado com a falta de base escolar, ou seja os alunos chegam ao Ensino Médio com a aprendizagem defasada.

Ela associa o baixo desempenho da aprendizagem com a necessidade do jovem entrar no mercado de trabalho precocemente e o crescente número de adolescentes que se envolvem com droga e marginalidade. “Todos esses aspectos em conjunto terminam impactando na escola. Precisamos qualificar nossos professores, e expandir o número de escolas no Estado”.

Ainda segundo a secretária, 49 novas escolas de Ensino Médio estão sendo construídas no Ceará, principalmente nas zonas rurais, onde o problema da evasão é maior. “O índice de abandono no Estado é de 19%. Nas zonas rurais, temos o agravante do sistema de transporte ruim, por isso precisamos de mais escolas”, destaca.

Plano de Metas – Na tentativa de uma solução para a situação, diretores escolares apresentaram Plano de Metas, que servirá como base para acompanhamento da escolas públicas. “Com o “Plamentas” iremos acompanhar a evolução das matriculas do Ensino Médio, a redução do abandono e os indicadores de aprendizagem”, ressalta Izolda Cela.

Para Plácido José de Sousa, diretor do Liceu de Maracanaú, todos os gestores recebem um diagnóstico mostrando os índice de aprendizagem de sua escola, do Estado e do País, ele ressalta a importância do Plano de Metas. “Se todos os gestores conseguirem atingir os objetivos do Plano de Metas, a educação no Ceará melhoraria em um curto espaço de tempo”, observa.

Projeto de lei –  Durante a cerimônia de posse dos novos diretores de escolas públicas estaduais, na última segunda-feira, o governador Cid Gomes assinou dois projetos de lei a serem encaminhados à Assembleia Legislativa. Uma das matérias institui o prêmio “Aprender para Valer”, que consiste na premiação do quadro funcional de todas as escolas que atingirem as metas anuais da evolução da aprendizagem do ensino médio.

A meta de evolução mínima é de 10% sobre a média de proficiência do Spaece 2008, tanto em Língua Portuguesa como Matemática. Além da meta de evolução, a escola terá que ter uma média de participação de 80% dos alunos na avaliação do Spaece. A premiação será um mês a mais de remuneração de acordo com o vencimento de cada funcionário das escolas.

O outro projeto institui a premiação para alunos do Ensino Médio, com melhor desempenho acadêmico, nas escolas de rede pública de ensino do Estado. Cada aluno que atingir as medias de proficiência adequadas em Língua Portuguesa e Matemática do Spaece, receberá um microcomputador.

Para Cid Gomes as dificuldades educacionais não devem ser vista como um quadro de desanimo e sim como um desafio para diretores e estudantes.

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=671452

Anúncios