Patrizia D’Addario afirma ter cobrado para participar de festas do premiê. Ele, que nega as acusações, havia feito insinuações contra ela na véspera.

Patrizia D’Addario, a prostituta de luxo que assegura haver cobrado para comparecer às festas privadas do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, desafiou o líder a um confronto público.

“Convido ao presidente (Berlusconi) a uma acareação pública para discutir nossos assuntos privados, como as relações entre homens e mulheres; as técnicas de conquista, assim como sexo e poder”, afirmou D’Addario ao “Corriere della Sera” na edição desta sexta-feira (11).

A declaração é resposta a Berlusconi, que se referiu a uma mulher que teria inventado um escândalo e sobre a possibilidade processá-la, mas sem pronunciar nomes.

Ele também insinuou que a mulher tinha cometido quatro delitos com os quais se arriscava a ser condenada a 18 anos de prisão.

Fonte: G1