O deputado Fernando Hugo (PSDB) quer que o Tribunal Regional Eleitora (TRE) do Ceará adote a mesma ação do TRE de Minas Gerais que, segundo ele, em uma “resolução cidadã”, vai informar em sua página eletrônica o teor da certidão criminal dos candidatos que disputarão as próximas eleições.

O parlamentar defende que esta é uma medida transparente que oferece ao eleitor a oportunidade de conhecer a idoneidade de seu candidato. O tucano vai apresentar um requerimento, juntamente com os deputados Heitor Férrer (PDT) e Vasques Landim (PSDB), solicitando que o TRE cearense adote a mesma postura. “Estamos aqui tentando imitar o povo mineiro que parte na frente. Isso fará com que tenha-se publicado no site do TRE toda incursão de qualquer candidato”, ressalta.

Para Fernando Hugo, essa iniciativa é uma forma de resgatar um dos pontos que deveria ter sido discutido na reforma política, que de acordo com ele, não ocorreu devido a apatia do Congresso Nacional que não votou uma reforma política profunda.

Ficha –  O tucano argumenta que o homem que prevarica é levado ao poder pelo voto daqueles que desconhecem a sua ficha. Por isso, defende ser indispensável alertar a população, através de informações publicadas no site do TRE, que segundo Fernando Hugo, fará com que todo eleitor saiba quais candidatos tem ficha suja e qual tipo de processo respondem.

O deputado Vasques Landim argumenta que a sociedade cobra que os homens públicos tenham probidade, decência, ética e honestidade e o objetivo do requerimento apresentado é justamente dar oportunidade à sociedade saber da história e do passado daqueles que propõem ser homens público.

Segundo o deputado Guaracy Aguiar (PMDB), existe um projeto de iniciativa popular defendendo que candidatos condenados em primeira instância, não possam se candidatar. Ele informou que o projeto será apresentado ao Congresso Nacional, mas para tramitar são necessárias um milhão e trezentas mil assinaturas. Até agora, segundo ele, já foram coletadas um milhão e cem mil.

O deputado Osmar Baquit (PSDB) discorda que pessoas condenadas em primeira instância não possam se candidatar, pois acredita que todos têm direito de tentar provar sua inocência. Porém o tucano concorda que o TRE divulgue a ficha dos candidatos para que a população saiba qual o processo que ele está respondendo.

Já o deputado Heitor Férrer entende que a primeira barreira para impedir o acesso de homens corruptos na política do País deveria ser os partidos, que para o pedetista, não cobram, no ato inscrição de filiados, a folha corrida. Já a segunda é o povo, mas lamenta que a sociedade não tem acompanhado a vida dos seus candidatos.

Fonte: Diário do Nordeste