O Grito dos Excluídos, em sua 15ª edição, traz para as ruas a indignação dos trabalhadores contra a crise econômica e as demissões, por emprego e melhores salários, pela manutenção dos direitos e pela sua ampliação, contra a corrupção e a impunidade, e denuncia a criminalização dos movimentos sociais.

Em 2009, a atividade tem como lema “Vida em primeiro lugar: a força da transformação está na organização popular”. Assim, trabalhadores e trabalhadoras de todo o país pretendem anunciar, em di­ferentes manifestações populares, os sinais de esperança, através da unidade, da organização e da luta popular, e denunciar todas as formas de injustiça que, em nosso país, causam a des­truição e a precarização da vida do povo e a destruição ambiental em todo o planeta.

São Paulo – Em Aparecida-SP, no dia 7, junto com o Grito dos Excluídos acontece a 22ª Romaria dos Trabalhadores que neste ano traz o lema “A sabedoria dos pobres derrota as armas dos poderosos”.

Pernambuco – O Grito dos Excluídos no Recife, marcado para 7 de setembro, terá a presença de dom Antônio Fernando Saburido, que há 15 dias assumiu a arquidiocese metropolitana. O líder da igreja católica em 19 municípios do Estado estará na concentração, na Praça Oswaldo Cruz, na Boa Vista, e cumprirá uma parte do percurso, que seguirá pela Avenida Conde da Boa Vista até o Pátio do Carmo, no Centro da capital. Dom Fernando anunciou sua participação.

“A igreja tem que ser solidária e ter sensibilidade com os problemas sociais”, argumentou o arcebispo, que já participou de outras edições do grito, quando era vigário-geral e bispo auxiliar de Olinda e Recife. A notícia animou os participantes da caminhada, uma vez que o evento não contava com o apoio explícito do antigo arcebispo dom José Cardoso Sobrinho.

“Estamos felizes com a participação de nosso pastor”, comemorou Sandra Gomes, das Comunidades Eclesiais de Base e uma das coordenadoras do grito.

O movimento ecumênico e realizado pelos movimentos sociais repete-se em todo o País. Lembra, no Dia da Independência, que liberdade e soberania ainda não são plenas, pois pobres, trabalhadores da cidade e do campo, índios e negros ainda estão excluídos da cidadania. O grito tem como tema a força da organização popular.

Rio Grande do Sul – Em Porto Alegre, o Grito dos Excluídos 2009 ocorre nesta sexta-feira, dia 4, a partir das 10h. Com o tema “A vida em primeiro lugar: a força da transformação está na organização popular”, a manifestação vai reunir entidades da sociedade civil, centrais sindicais e pastorais. A largada ocorre na Praça da Matriz.

Segundo a integrante da coordenação da Pastoral Operária Estadual, Clarice Dal Medico, uma das reivindicações é a investigação das denúncias de corrupção no governo do Estado. O grito deste ano também busca chamar a atenção sobre os efeitos da crise sobre os pobres e fazer um apelo por um modelo de desenvolvimento econômico que combata a exclusão social.

O dia escolhido para o protesto faz referência à independência do Brasil, data que é celebrada no próximo dia 7 de setembro, segunda-feira.

– Para que a vida passe a estar em primeiro lugar, acreditamos que precisamos ter independência econômica, além da independência política.

Fonte: Vermelho, CUT-PE, JC e ZH

Anúncios