Segundo diretora da Firjan “Esse índice procura retratar alguns aspectos da qualidade de vida dos moradores de um municípios que é a qualidade, o acesso e a qualidade da educação e alguns aspectos de saúde, atenção básica de saúde basicamente e a capacidade de gerar emprego e renda que seriam as grandes vertentes que definem o desenvolvimento de uma localidade 

A pesquisa dividiu os municípios brasileiros em quatro categorias: 4,2% foram considerados de alta qualidade; 46,5 % moderada; 47,2% regular e 2,1% de baixa qualidade de vida. 

O levantamento é baseado em informações oficiais de três ministérios, repassadas pelas prefeituras. O estudo desse ano usa dados de 2006. 

VARIÁVEIS QUE COMPÕEM O CÁLCULO DO ÍNDICE IFDM

    Emprego & Renda:

  • Geração de emprego formal
  • Estoque de emprego formal
  • Salários médios do emprego formal
    Educação

  • Taxa de matrícula na educação infantil
  • Taxa de abandono
  • Taxa de distorção idade série
  • Percentual de docentes com ensino superior
  • Média de horas aula diárias
  • Resultado do IDEB
    Saúde

  • Número de consultas pré-natal
  • Óbitos por causas mal definidas
  • Óbitos infantis por causas evitáveis


Vantagens do IFDM em comparação com o IDH-M

O IFDM é anual, enquanto o IDH-M é censitário, desta forma, com o IFDM é possível ver o filme ao invés de fotos esparsas a cada dez anos do IDH-M. Assim, ganha-se além da aferição, uma ferramenta de gestão pública.

O IFDM permite tanto a comparação relativa, quanto a absoluta entre municípios ao longo do tempo, uma vez que sua metodologia permite especificar se uma melhora relativa deveu-se a fatores específicos do município em questão ou a piora dos demais. O IDH-M não permite a comparação ao longo do tempo, na medida que as notas de corte são determinadas pela amostra do ano em questão. 

  • O IFDM foi desenvolvido diretamente para avaliar o desenvolvimento dos municípios, com variáveis que espelham com maior nitidez a realidade municipal brasileira. O IDH-M, sendo uma adaptação do IDH desenvolvido para analisar os mais diferentes países, é mais limitado para analisar a realidade municipal do ponto de vista metodológico. Assim, o IFDM traz uma visão mais atualizada, com melhor utilização do conjunto de indicadores brasileiros em sua composição.

RANKING IFDM – ANO2|JUL.09
Aqui o ranking dos 5.560 municípios Brasileiros (formato PDF, 117 Páginas).

Ranking das 50 Melhores Cidades

Ranking das 10 Piores Cidades Brasileiras

CAPITAIS – De acordo com os dados, quatro capitais figuraram entre os 100 primeiros colocados do ranking: Vitória, São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte. 

Municípios com IFDM entre 0 e 0,4 são considerados de baixo estágio de desenvolvimento; entre 0,4 e 0,6, de desenvolvimento regular; entre 0,6 e 0,8, de desenvolvimento moderado; e entre 0,8 e 1,0, de alto desenvolvimento. 

No caso das capitas somente os 10 primeiros colocados entram na classificação de alto desenvolvimento, o restante em desenvolvimento moderado.

Fonte: Webmais.com

Anúncios