RIO – Mais de dois meses após a morte de Michael Jackson, a família do astro se prepara para o funeral do cantor a ser realizado nesta quinta-feira. O irmão do artista, Marlon Jackson, deu entrevista exclusiva ao “The Mirror” em que revelou detalhes da cerimônia. Como o uso de peruca e maquiagem especiais (“Como se fosse o último show dele”, diz o irmão), mensagens dos filhos no caixão de ouro, despedida ao som de Aretha Franklin e presença da grande amiga, a cantora Diana Ross.

Os três filhos do cantor, Paris, Prince Michael I e Blanket, já escreveram a mensagem: “Papai, nós amamos você. Sentiremos sua falta”. Os dizeres serão colocados ao lado do corpo, assim como a marca registrada do cantor: a luva branca.

O enterro será no cemitério Forest Lawn, em um mausoléu de concreto para evitar vandalismo e roubo. O sistema de segurança em volta do local incluirá câmeras de vídeo e sensores que disparam um alarme caso alguém ultrapasse a zona de segurança e se aproxime do túmulo.

“É um lugar calmo onde as crianças poderão visitar o pai com privacidade e prestar suas homenagens”, disse Marlon.

Ao contrário da exposição de sua vida pública, Michael Jackson será enterrado longe das câmeras. A cerimônia de 45 minutos será privada, limitada a parentes e amigos mais próximos.

Marlon Jackson, de 52 anos, disse que Aretha Franklin cantará ao lado do túmulo, e que a amiga de longa data do cantor, Diana Ross, também estará presente, assim como fundador da Motown Berry Gordy.

O cemitério fica a 8km de distância de Hollywood, em Los Angeles. Lá estão enterrados corpos de outros famosos, como Humphrey Bogart e Clark Gable.

Nas nove semanas desde a morte de Michael Jackson, seu corpo ficou no morgue do cemitério e só foi tirado de lá para o evento em sua homenagem mês passado, no Staples Center.

“Agora é o passo final, as cortinas vão se fechar como em homenagem à vida de Michael”, disse Marlon.

Segundo ele, o enterro não aconteceu no sábado – dia que o cantor completaria 51 anos – porque a religião da mãe deles, Testemunha de Jeová, não reconhece aniversários.

“Eu queria que ele descansasse em paz no dia que Deus o criou. Mas minha mãe não quis o enterro neste dia”, explicou Marlon.

Fonte: O Globo Online