O Itaú-Unibanco Holding informou nesta terça-feira que encerrou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 2,571 bilhões, contra um lucro pró-forma de R$ 2,797 bilhões em igual período do ano passado –uma queda de 8%.

Os números comparativos de igual período do ano passado são apresentados na base pró-forma porque a fusão que uniu Itaú e Unibanco aconteceu em novembro de 2008.

Na comparação com o primeiro trimestre deste ano –quando o lucro foi de R$ 2,015 bilhões–, houve uma alta de 27,6% (os resultados de janeiro a março já não são pró-forma, pois já consideram a operação do grupo após a fusão).

O resultado trimestral da instituição superou o do Bradesco, que teve um lucro de R$ 2,297 bilhões no segundo trimestre deste ano –crescimento de 14,7% em relação ao mesmo trimestre de 2008.

O lucro líquido no primeiro semestre foi de R$ 4,586 bilhões, uma queda de 17,8% em relação ao resultado pró-forma no mesmo período de 2008, R$ 5,582 bilhões. O lucro líquido recorrente (que exclui efeitos de custos e encargos extraordinários) no semestre, por sua vez, foi de R$ 4,990 bilhões, contra R$ 5,555 bilhões no primeiro semestre do ano passado, uma queda de 10,2%.

Em termos recorrentes, o lucro líquido da instituição nos três meses terminados em junho somou R$ 2,429 bilhões, queda de 14,35% sobre o resultado obtido um ano antes.

A carteira de crédito do grupo somava R$ 265,97 bilhões no final de junho, ante R$ 231,16 bilhões no final do primeiro semestre de 2008. O total de ativos consolidado no semestre passado foi de R$ 596,387 bilhões.

No Brasil, a carteira de crédito livre para pessoa física atingiu R$ 96,543 bilhões, com crescimento de 13,2% quando comparado a igual período de 2008. Já o segmento de grandes empresas atingiu R$ 91,664 bilhões e o de micro, pequenas e médias empresas atingiu R$ 54,312 milhões, com crescimento de 28,5% quando comparado a 30 de junho de 2008.

Fonte: Folha Online