O Itaú Unibanco acaba de receber do jornal britânico Financial Times e da International Finance Corporation (IFC) o prêmio Sustainable Emerging Markets Bank of the Year. O reconhecimento máximo é concedido à instituição financeira mais sustentável dos mercados emergentes, considerando a criação de valor em suas operações nas esferas ambiental, social e financeira. Em sua quarta edição, a premiação escolheu ainda a liderança regional de bancos na Ásia, África/Oriente Médio, Europa Oriental e América Latina, sendo a última também conquistada pelo Itaú Unibanco. Os vencedores foram selecionados  de uma lista de 117 instituições de 42 países. O anúncio foi realizado na noite dessa quinta-feira, durante cerimônia de encerramento da Financial Times Sustainable Banking Conference, evento realizado anualmente em Londres.

“O modelo de atividade com foco no desenvolvimento sustentável e em boas práticas de governança corporativa tem sido a diretriz de atuação do Itaú e do Unibanco há muitos anos. Com a fusão, devemos fortalecer ainda mais este direcionamento, com base em valores e princípios que privilegiem o desenvolvimento social e a responsabilidade ambiental, atreladas à performance financeira”, afirma Sonia Favaretto, superintendente de Sustentabilidade do Itaú Unibanco.

A escolha do Itaú Unibanco como a instituição financeira mais sustentável da América Latina e dos mercados emergentes como um todo foi resultado da análise de políticas, práticas e produtos que trazem benefícios tanto à instituição quanto à sociedade. Entre elas, foram analisadas: a Política de Crédito Socioambiental; a existência de linhas de crédito especiais para o desenvolvimento de projetos de energia renovável, em parceria com o BNDES; a existência de fundos sociais, como o Ecomudança e o Excelência Social; o programa de educação financeira Uso Consciente do Dinheiro; e projetos para a melhoria da qualidade da educação pública, desenvolvidos pela Fundação Itaú Social, entre outras iniciativas.

Também foi considerado o engajamento da instituição junto a organizações e fóruns voltados ao desenvolvimento sustentável, como Princípios do Equador, do qual o Itaú é signatário e onde ocupa a posição de chair do comitê diretivo, e Carbon Disclosure Project, iniciativa internacional cuja expansão na América Latina o banco patrocinou.

Fonte: Revista Meio Filtrante