Diversas disputas entre as candidatas à sede movimentaram os bastidores nos últimos dias. Entre ataques recíprocos, Fortaleza se manteve neutra e, mais do que isso, sai do processo seletivo como uma cidade forte entre as participantes do Nordeste do país.

Salvador é, naturalmente, a cidade mais importante da região no plano da Fifa e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014. Natal tem um marketing mais agressivo, enquanto Recife conta com uma proposta mais abrangente. Sem alarde, a capital cearense tenta desenvolver a proposta mais realista entre as duas “concorrentes” a partidas importantes do Mundial.

Levando em conta o tão debatido legado, Fortaleza tem um desafio. A sua principal obra é a criação de um veículo leve sobre trilhos que ligue, entre alguns poucos destinos, o aeroporto ao Castelão, local que receberá R$ 400 milhões e terá sua capacidade aumentada para 65 mil pessoas.

Os gastos da capital cearense com o projeto para se adequar às exigências do Mundial serão altos. Prefeitura e governo estadual aprovaram na última semana um orçamento que prevê até R$ 9 bilhões para serem investidos em obras de infraestrutura, sendo que R$ 5 bi, de acordo com o secretário de Esportes do Ceará, Ferrucio Feitosa, “já estão garantidos”.

Além da previsão de investimentos alta, Fortaleza também gastou para viabilizar sua candidatura. Enquanto algumas cidades optaram por não criar comitês organizadores da Copa, a capital cearense mobilizou cerca de 70 pessoas para tratar dos assuntos relacionados ao Mundial.

Fonte: Esporte Uol

Anúncios