Região de Viçosa (CE) teve mais que o dobro do volume médio de chuvas. Rio Pirangi, que nasce na região, é represado pela Barragem de Algodões.

Chegou a seis o número de mortos em consequência do estouro da Barragem de Algodões, no Piauí. Desabrigados e desalojados chegam a quase três mil pessoas. A força da enxurrada destruiu estradas e isolou parte do litoral do estado.

A água que vazou da represa chegou com força a outras áreas da Zona Rural de Buriti dos Lopes (PI).

Além de destruir casas, a enxurrada derrubou uma ponte na BR-343 e abriu duas crateras na rodovia, que liga Teresina a Parnaíba (PI) e Luís Correa (PI), no litoral. Para chegar a essas cidades por terra, só viajando pelo Maranhão ou pelo Ceará, o que aumento o percurso em 200 quilômetros.

As equipes de resgate encontram dificuldades para chegar aos locais onde antes existiam vilas e fazendas. Dois municípios estão sem luz elétrica e não há previsão para a solução do problema, pois as linhas de transmissão precisam ser reconstruídas.

Nas escolas, que servem de abrigos improvisados, as famílias sofrem com a falta de luz. Os desabrigados precisam de roupas, alimentos e remédios.
Nos abrigos, muito sofrimento. A agricultora Maria de Fátima Pereira perdeu a filha de 10 anos. Outra filha dela, de 16 anos, permanece desaparecida. “Não deu tempo de fazer nada, de ir atrás delas. As pessoas que perderam a casa, perderam o gado, perderam as coisas, com o tempo, podem conseguir de novo. Mas minhas filhas eu não consigo mais”, diz.

Chuva no Ceará –Parte do volume de água que provocou o rompimento da Barragem de Algodões teve origem no Ceará. O Rio Pirangi nasce em Viçosa, no Norte do Ceará, e até chegar ao Piauí recebe água de vários afluentes ao longo de 60 quilômetros. O Rio Pirangi é represado pela Barragem de Algodões.

A região de Viçosa recebeu mais do que o dobro do volume médio de chuvas registrado no período. Desde o início do ano, 17 pessoas morreram no estado por causa das enchentes.

Fonte: G1

Anúncios