“Hoje é o dia em que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) se reúne, em sessão extraordinária, a partir das 15 horas, para julgar os gastos que o governo Cid Gomes (PSB) executou 2008. Conforme O POVO apurou, a tendência é que as contas do Executivo consigam passar pela prova de fogo, mas não tão facilmente. Uma metralhadora de recomendações deverá ser disparada por alguns dos seis conselheiros da Corte. O relator do parecer que opinará sobre a qualidade dos gastos, conselheiro Suetônio Mota, adiantou: “as ressalvas são relativamente muitas”.

Erros apontados no julgamento do ano passado – referente às contas de 2007 – voltaram a se repetir no Governo. O problema é que, dessa vez, não há mais o álibi do “primeiro ano da gestão”. Segundo a conselheira Soraia Victor, houve, novamente, equívocos na aplicação de recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop). Ela antecipou que também irá questionar o “exagerado aumento” nos gastos com mão-de-obra terceirizada no Governo, que, de 2005 para 2008, cresceram 87%, afirma. “E isso foi uma coisa que, no começo do mandato, Cid Gomes disse que iria cortar”, ressaltou.

Por causa da reincidência, o relator Suetônio Mota prometeu ser mais duro quanto aos encaminhamentos das críticas. Este ano, ele disse querer que todas as recomendações citadas na sessão de hoje passem a constar de forma documental na resolução do TCE, o que pode dar mais força aos questionamentos da Corte.

Trâmite
Logo após a votação no TCE, o parecer segue para a Assembleia Legislativa. Lá, o documento será apreciado pelos parlamentares, que decidirão por aprovar ou não as contas do Executivo. ”

Fonte: Jornal O POVO

Anúncios