No ano passado, Fortaleza recebeu cinco eventos internacionais. À primeira vista pode parecer pouco, mas foi o suficiente para colocar a cidade na 7ª posição do ranking do País, de acordo com a Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA, na sigla em inglês). Em 2006 e 2007, a capital cearense sequer aparecia no levantamento.

Evento são bem vindos. Fortaleza é um destino predominantemente de lazer, afetado pela sazonalidade. Então eles movimentam a baixa temporada´, afirma Régis Medeiros, presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira no Ceará (ABIH-CE). Segundo ele, cada congresso realizado chancela a capacidade do Estado de sediar eventos internacionais.

Fortaleza acompanhou a evolução do Brasil, que passou do 8º para o 7º lugar entre os países que abrigaram eventos internacionais. Foram 254 congressos e convenções dentro dos critérios da ICCA (eventos itinerantes, com periodicidade fixa e no mínimo 50 participantes), contra 209 em 2007. O Brasil foi o primeiro país latino-americano a figurar no Top 100 da associação, em 2006.

O ranking nacional é liderado por São Paulo, pela segunda vez consecutiva a cidade das Américas que mais recebeu eventos internacionais (75), saltando da 23ª para a 12ª posição na lista mundial. Rio de Janeiro (41 eventos), Foz do Iguaçu, Porto Alegre, Salvador (13), Brasília (11), Belo Horizonte (10), Florianópolis, Recife (7) e Campinas (5) são as outras cidades brasileiras que figuram na lista da ICCA.

No Brasil, há uma tendência à descentralização. Em 2003, 22 cidades realizavam eventos internacionais. Ano passado, o número saltou para 42. ´Fortaleza está no grupo de cidades que se consolidam no ranking e está apta para continuar sendo um dos destinos brasileiros preferidos para a realização de eventos internacionais”, declara Jeanine Pires, presidente da Embratur. Desde 2003, a entidade tem um programa de apoio a captação e promoção de eventos internacionais.

Impacto econômico – Dados preliminares de uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, a pedido da Embratur, mostram que o impacto econômico direto dos gastos realizados por participantes estrangeiros em 14 eventos internacionais ocorridos no Brasil em 2008 foi de US$ 14.949.558,00. O gasto médio do turista estrangeiro de eventos é de US$ 314,70, bem acima da média dos que vêm ao País a negócios (US$ 165,14) e lazer (US$ 73,53).

Para Régis Medeiros, Fortaleza tem condições de ganhar posições no ranking, com a construção do centro multifuncional de feiras e eventos e os projetos estruturantes da refinaria e siderúrgica, ´que certamente atrairão eventos voltados para esses setores e para as indústrias que se instalarão ao redor´. Além disso, ele destaca a localização próxima a Europa e Estados Unidos, rede hoteleira bem estruturada e o trânsito menos conturbado do que em outras metrópoles.

Fonte: Diário do Nordeste

Anúncios