Rio de Janeiro, 18 mai (EFE).- O Banco do Brasil, o Bradesco e o Itaú-Unibanco foram as instituições financeiras de capital aberto da América que apresentaram maior rentabilidade no primeiro trimestre do ano, apesar de não terem alcançado os maiores lucros no período, informa um estudo divulgado hoje pela empresa de consultoria Economática.

O estudo analisou os balanços de 20 bancos com ações negociadas em mercados de ações que têm mais de US$ 100 bilhões em ativos e que operam em países da América, com exceção do Canadá.

Segundo a Economática, o Banco do Brasil, o Bradesco e Itaú-Unibanco foram os que tiveram maior rentabilidade com relação a seu patrimônio líquido no primeiro trimestre.

O Banco do Brasil teve uma rentabilidade equivalente a 5,48% de seu patrimônio; o Bradesco, de 4,95%, e o Itaú-Unibanco, o maior banco em volume de ativos da América Latina, de 4,54%.

Atrás dos três brasileiros ficaram os americanos State Street Corp (3,57%), American Express (3,16%), Wells Fargo (3,0%), Goldman Sachs (2,84%), Bank of America (2,04%), US Bancorp (2,01%) e BB&T (1,97%).

O Santander Brasil, outro banco latino-americano que fez parte do ranking, ficou em 15º lugar, com 0,85%.

Dos 20 bancos do continente com mais de US$ 100 bilhões em ativos, os únicos três com rentabilidade negativa no primeiro trimestre foram os americanos Morgan Stanley (-0,38%), Capital One Financial Corp. (-0,42%) e SunTrust Banks (-3,70%).

Já o ranking dos bancos com maior lucro líquido no primeiro trimestre foi liderado pelos americanos Bank of America (US$ 4,247 bilhões), Wells Fargo (US$ 3,089 bilhões) e JPMorgan Chase (US$ 2,141 bilhões).

Em quarto lugar na mesma lista, ficou o Itaú-Unibanco, com um lucro trimestral de US$ 2,015 bilhões. Bradesco (US$ 1,723 bilhão), Banco do Brasil (US$ 1,665 bilhão) e o Santander Brasil (US$ 419 milhões) ficaram em sexto, sétimo e 13º, respectivamente.

Dos 20 bancos, os únicos que sofreram perdas no primeiro trimestre foram o Capital One Financial (US$ 112 milhões), o Morgan Stanley (US$ 190 milhões) e o SunTrust Banks (US$ 815 milhões).

Fonte: Portal G1