BELO HORIZONTE – O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), classificou nesta segunda-feira como “invencionice” um suposto acordo eleitoral para a eleição de 2010 em que ocuparia a vice em chapa encabeçada pelo colega José Serra, de São Paulo. Os dois disputam a indicação do PSDB para concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serra não quis comentar o suposto acordo e culpou o governo, o PT e a imprensa por anteciparem a campanha eleitoral .

– Se há algum acordo, esqueceram de me avisar. Não existe absolutamente nada nessa direção – disse Aécio, após reunião com a direção nacional do PR na capital mineira.

Aécio se referia à informação divulgada no domingo de que teria aceitado um acordo, mediado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, para abrir mão da pré-candidatura em favor de Serra. Em entrevista ao GLOBO, porém, FH disse que o partido não deve se precipitar , admitiu prévias e afirmou que Aécio e Serra têm condições iguais. ( Lucia Hippolito: A caminho da chapa puro sangue? )

Aécio vem defendendo a realização de prévias internas do PSDB para a escolha do candidato tucano à Presidência. Na sexta-feira, em discurso digno de candidato no Rio de Janeiro, Aécio disse que o país precisa de um grande projeto nacional . O governador mineiro defendeu ainda que seu partido, o PSDB, e o PT façam uma campanha “sem radicalismos” em 2010. ( Áudio: Ouça o discurso de Aécio Neves )

– O PSDB, no momento em que definir o seu candidato, deve buscar aliados e construir com aliados a chapa e o programa de governo. Isso (acordo com Serra) é uma invencionice. Na verdade, uma grande piada – declarou.

Aécio, que se reúne com FH em Belo Horizonte nesta segunda, afirmou que, na sua opinião, chapas “puro-sangue”, dificilmente conquistam uma eleição.

– Qualquer negociação ou qualquer construção de uma chapa de um só partido não tem eficácia eleitoral e acho que tem uma grande dose de presunção – avaliou.

Fonte: O Globo