Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, consultorias empresariais, literatura e empresários discutem como manter os principais jovens talentos na empresa.

Com a crise e a perspectiva de profissionais cada vez mais jovens assumirem cargos mais altos e de chefia, o consultor americano Karl Staib, do blog Work Happy Now!, ensina cinco tarefas básicas para melhorar o ambiente na empresa e manter esses funcionários.

Criar um ambiente divertido – Qual foi a última vez que fizeram uma festa com música e risadas? Quando o chefe agradeceu a todos na empresa? Criar um ambiente divertido não pede tempo ou dinheiro, apenas planejamento e um pouco de esforço.

Geralmente, sentimos não ter tempo para esse tipo de coisa. Se a firma não quiser organizar uma festa, vale promover um ambiente acolhedor que permita às pessoas relaxar e não se sentirem ameaçadas. Medo geralmente leva à tomada de más decisões. É preciso deixar os principais talentos se divertirem e desempenharem à vontade o trabalho. Se eles sentem que são livres para criar, rir e partilhar as idéias com os outros, produzirão ótimos resultados.

Pagar acima da média – Dinheiro não é tudo, mas empresas que mostram que se importam pagando mais geralmente têm vantagem. Muitas vezes bônus e outras gratificações fazem o funcionário se sentir bem e percebem que o esforço extra foi recompensado.

Os melhores funcionários sabem que talento tem preço, então, é importante pagar o quanto valem, afinal, eles conversam entre si e pesquisam quais são os ganhos dos outros.

Não há como mantê-los se os salários estiverem abaixo do mercado e da função. Além de reconhecimento, gratificações também são necessárias, pois mantêm os funcionários engajados no trabalho. Elogios ainda demonstram que a empresa se preocupa com seus colaboradores.

Dar treinamento – É preciso treinar um novo talento e toda a empresa deve estar envolvida no processo. Jovens funcionários devem aprender como interagir com clientes e fornecedores e saber claramente que atitudes farão dele um profissional bem-sucedido.

É importante também que o funcionário saiba que errar faz parte do jogo, pois essa liberdade manterá suas mentes abertas a novas idéias. Esse treinamento também dará ao novato a confiança necessária para desempenhar seu trabalho.

Entender as necessidades do emprego – Algumas empresas temem tanto perder seus novos talentos que pagam salários altos, mas não entendem quais são suas reais necessidades. Alguns podem querer apenas trabalhar um dia de casa. Outros podem querem sugerir seus próprios projetos.

Por isso, é mais produtivo ouvir o que querem até implementar algo que seja bom para os dois lados: funcionário e empresa. Uma boa solução é tentar a receita da empresa Google: dar aos funcionários 10% do tempo de trabalho para fazerem o que quiserem desde que provem que trará benefícios para a empresa.

Permitir feedbacks anônimos – As pequenas coisas são as que mais incomodam os funcionários, como o tipo de copos disponíveis da copa para tomar café. Uma idéia é pedir para que todos coloquem idéias e críticas numa caixa. Assim, será mais fácil organizar as demandas e discuti-las entre todos.

Fonte: Redação Terra
Anúncios