As mulheres brasileiras nunca estiveram tão próximas dos artifícios para cuidar de sua beleza de forma personalizada como agora. Atenta em atender as particularidades da pele e dos cabelos da mulher nacional, – mais de 50% das mulheres tem pele de oleosa a mista e outras 86% são donas de cabelos ondulados – boa parte da indústria cosmética investe em buscar ativos provenientes da biodiversidade brasileira para compor as fórmulas de cremes antirrugas, xampus, sabonetes e outra lista de produtos.

Plantas e frutas da Floresta Amazônica, da Mata Atlântica, do Cerrado e de outras regiões do país são poderosos aliados para combater os sinais da idade, amaciar a pele ou deixar as madeixas mais brilhosas. Confira abaixo o que oito elementos oferecem de melhor em potes ou até mesmo ao natural.

Castanha-do-pará: a ingestão dessa poderosa semente da Floresta Amazônica é capaz de retardar o envelhecimento da pele já que está lotada de selênio, mineral antioxidante, que combate os radicais-livres, os responsáveis por destruir as fibras de colágenos e elastina que garantem a sustentação da pele. “O mineral também está associado à capacidade do organismo se livrar de substâncias tóxicas, ajudando-o inclusive a expelir possíveis metais pesados que se alojam nas células”, explica a dermatologista e nutróloga Paula Cabral, da clínica Hagla, de Campos (RJ).

“Para obter todas essas vantagens é necessário o consumo de apenas uma castanha por dia”, recomenda. Por ser rica em vitaminas A, B1, B2, C e E, com propriedades estimulantes e emolientes, a gordura natural dessa oleoginosa faz dela um atraente ativo de uso cosmético para ser empregado em sabonetes, cremes para o corpo e cabelo, xampus, esfoliantes e outros produtos.

Buriti: o óleo dessa fruta típica do Cerrado brasileiro é rico em carotenóides que se convertem em vitamina A e atuam como antioxidantes, protegendo as células e possuindo ainda um efeito cicatrizante. “Suas propriedades emolientes proporcionam maciez e um toque sedoso à pele”, explica a dermatologista Joana D`Arc Diniz, diretora científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME-RJ), do Rio de Janeiro.

Andiroba: Tem propriedades anti-sépticas, anti-inflamatórias, emolientes e cicatrizantes. O óleo dessa planta nativa da Amazônia, quando aplicado em cremes e loções proporciona suavidade à pele e promove a regeneração cutânea. “Em xampus e condicionadores, aumenta a maciez dos cabelos, comprovada por avaliações das propriedades viscoelásticas das fibras capilares em condições nas quais os cabelos são expostos a grandes esforços de penteabilidade”, aponta a dermatologista Joana D`Arc Diniz.

Açaí: a fruta amazônica tornou-se presente nas fórmulas dos cosméticos por ser rica em vitaminas, açúcares essenciais, antioxidantes e óleos emolientes. “O extrato de açaí apresenta propriedades nutrientes e protetoras e é indicado para utilização em produtos capilares em fórmulas para nutrição, limpeza e proteção dos cabelos enfraquecidos”, explica Joana D`Arc Diniz. Suas propriedades nutritivas e tonificantes também tornam o extrato recomendado para o uso no tratamento da pele em produtos com enfoque nutritivo e regenerador. “Estudos também comprovaram que o açaí ajuda na prevenção da acne por suas propriedades antibacteriana”, acrescenta a dermatologista e nutróloga Paula Cabral.

Cupuaçu: a fruta faz sucesso no mercado de cosméticos pela propriedade de hidratação de sua manteiga. È um ótimo hidratante, graças à sua alta capacidade de absorção de água, duas vezes maior que a lanolina, o que possibilita a recuperação da umidade natural da pele. “A manteiga de cupuaçu age sobre o tecido cutâneo, formando um filme protetor que impede a evaporação da água na pele”, diz Paula Cabral.

Guaraná: rico em cafeína – com teor superior ao do café – é empregado em formulações tópicas para tratamento de celulite. “A cafeína faz parte o grupo das xantinas, que são substâncias com ação lipolítica, ou seja, capazes de promover mobilização de gordura”, explica a dermatologista Joana D`Arc Diniz. Também é empregado em cremes e máscaras faciais indicados para peles oleosas. Em produtos para o corpo, o extrato de guaraná é usado por suas propriedades adstringentes e tonificantes, promovendo sensação de vigor durante e depois do banho.

Jojoba: é um ótimo ingrediente para fabricação de sabões, cremes, xampus e óleos de massagem. Possui propriedades anti-inflamatórias e hidratantes, prevenindo rugas e mantendo o aspecto jovem e a elasticidade da pele. “A jojoba também é excelente para fortificar cabelos secos e equilibrar cabelos oleosos, porque é menos ácido, regulando, portanto, as secreções glandulares do couro cabeludo”, diz a dermatologista e nutróloga Paula Cabral. O óleo de jojoba é eficaz em acelerar o processo de regeneração cutânea ( é usado até no tratamento de feridas), portanto, pode ser empregado em formulações tópicas para regeneração de uma pele fotoenvelhecida.

Café verde: os cremes e óleos com extrato de café verde ainda são pouco divulgados no Brasil, mas já são utilizados há muito tempo por americanas e canadenses que encontraram nessa substância a solução para uma pele perfeita. “Pode ser aplicado em fórmulas para tratamento do envelhecimento, uma vez que estimula a síntese do colágeno e da elastina”, esclarece a dermatologista Joana D`Arc Diniz.

Estudos indicam que o produto também é recomendado para uso em bronzeadores e protetores solares porque auxilia no aumento do FPS (Fator de Proteção Solar). Outra característica benéfica é seu alto teor de cafeína sendo empregado também em formulações para tratamento da celulite, para combater rugas e até estimular o crescimento de folículos pilosos (cabelos), tornando-se promissor para tratamento da queda dos fios.

Fonte: Abril.com

Anúncios