BRASÍLIA – O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu nesta

Gervásio Silva
Gervásio Silva

quinta-feira ação penal contra o deputado Gervásio Silva (PSDB-SC) por atentado violento ao pudor. Uma funcionária pública do interior de Santa Catarina acusa o parlamentar de ter abusado sexualmente dela em 2005. O caso tramita sob sigilo, mas acabou sendo revelado na sessão desta quinta da TV Justiça. Ao fim da investigação, se for condenado, o parlamentar poderá sofrer pena de seis a dez anos de prisão. Segundo denúncia do Ministério Público, o deputado teria oferecido carona à funcionária. Antes, teria acompanhado a moça ao hotel e pedido para tomar um banho. Depois, conforme leu o relator, o ministro Ricardo Lewandowski, o deputado apareceu nu no quarto, usando apenas uma gravata, e se jogou sobre a moça. Lewandowski votou pelo arquivamento do caso. A defesa do deputado nega a acusação:

– Essa versão é totalmente inverossímil. Trata-se de uma pessoa com 140 quilos. Nem ela nem a cama aguentariam – protestou o advogado José Eduardo Alckmin.

O deputado, pelo telefone, disse ser inocente.

– Vou provar que não sou culpado. Sou inocente.

Gervásio quase perdeu o mandato no ano passado

Gervásio se envolveu em outra polêmica no ano passado e correu o risco de perder o mandato. O deputado trocou o DEM pelo PSDB em 8 de agosto de 2007 e seu antigo partido entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação do mandato de Gervásio por infidelidade partidária. Mas, em decisão unânime, o tribunal considerou que ele não feriu o princípio da fidelidade partidária. (Conheça as regras da fidelidade partidária)

Em sua defesa, o deputado alegou que a perseguição política teria se iniciado em 2006, quando o DEM não mais renovou nem instituiu representação partidária no município de São José (SC), onde foi presidente da Comissão Executiva Provisória Municipal até o dia 20 de março de 2006.

Os ministros entenderam que houve discriminação política por parte do DEM e declararam a justa causa do deputado em sair do partido. Consideraram também prejudicada a petição em que o partido pedia a decretação da cassação do mandato do parlamentar.

Fonte: O Globo

Anúncios