No sábado (25), grupo foi retido pelo serviço de imigração de Madrid. Quatro pessoas de uma mesma família voltaram neste domingo (26).

Um grupo de pelo menos 15 brasileiros barrados no sábado (25) no aeroporto de Madri, na Espanha, desembarcou neste domingo (26) em Guarulhos, na Grande São Paulo. De acordo com o Ministério das Reações Exteriores no Brasil, o governo espanhol alegou que os brasileiros não tinham todos os documentos necessários e não atendiam aos requisitos para visitar a Espanha.

Entre os passageiros barrados estavam quatro pessoas de uma mesma família _um casal e o filho e a tia da criança_ que pretendiam curtir as férias. Segundo documentos do serviço de imigração espanhol, eles foram impedidos de entrar no país porque não teriam dinheiro em espécie suficiente para estar lá e nem reservas em hotel.

De acordo com a administradora Marluce Rosado, ela, o filho de 4 anos, o marido e a irmã ficariam hospedados na casa de um amigo espanhol e tinham o dinheiro exigido para entrar na Espanha. O G1 conversou por telefone com a família.

“Tenho seguro de saúde, passagem de retorno, carta do anfitrião. É uma palhaçada. Quem paga [o prejuízo]? Gastamos R$ 10mil em passagens”, disse Marluce, que chegou a chorar quando chegou a Guarulhos, mora em São Paulo com o marido e filho do casal.

“Nossos pertences ficaram em sacos de lixo e foram aprendidos. Depois tiveram interrogatórios individuais”, disse ela. Um advogado e uma intérprete foram chamados para ajudar nas entrevistas.

A família tinha saído de Cumbica na sexta. Ao desembarcarem na Espanha, afirma que sofreram muita pressão por parte das autoridades espanholas.

“Para ir ao banheiro fomos com segurança. A Polícia nos acompanhou até entrarmos no avião de volta ao Brasil. Fomos desrespeitados lá [na Espanha]’, disse a gerente de contas Marilu Borges Rosado, que mora em Brasília.

“Planejamos essa viagem para Madri desde janeiro. Quando chegamos lá, sem justificativa, nos mandaram para sala da polícia com 20 pessoas esperando, 80% de brasileiros. Foi minha primeira viagem para o exterior e agora tenho o passaporte carimbado”, lamentou Marilu, irmã de Marluce.

O engenheiro Marcio Menezes, marido de Marluce, afirma que a família se sentiu abandonada pelas autoridades brasileiras. “Tentamos ligar para o consulado e não conseguimos. Nos sentimos solitários”, disse ele, que afirma ter feito várias viagens internacionais.

“Não existe critério de abordagem na imigração espanhola. Essa é a Espanha para todo mundo ver e escutar. Terça-feira [28] vamos continuar nossas férias no nosso querido Brasil”, disse Menezes.

Fonte: G1