Até junho próximo, um total de 4.793 trabalhadores terceirizados deverão ser desligados da Caixa Econômica Federal, dos quais, 153 são locados no Ceará. O objetivo é que as vagas por eles atualmente ocupadas sejam assumidas por servidores concursados, de acordo com Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado nacionalmente pelo banco com o Ministério Público do Trabalho (MPT), visando regularizar a situação funcional da instituição. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão no Ceará, a Caixa está cumprindo regularmente no Estado o cronograma do TAC. Não foi informado, entretanto, quantos destes trabalhadores estão locados na Capital e quantos no Interior. De janeiro a março deste ano, foram afastados, em todo o País, 58 trabalhadores, sendo apenas um deles no Estado.

A instituição afirmou não poder precisar as datas de convocação dos concursados, já que a Caixa só pode contratar após autorização dos ministérios da Fazenda e Planejamento, Orçamento e Gestão.

Entre os serviços para os quais ainda são mantidos contratos de terceirização estão os de tratamento de envelopes e malotes, cujos contratos expiram em 30 de junho próximo.

A partir desta data, não mais haverá terceirização dos serviços de retaguarda em unidades da instituição financeira.

O procurador do Trabalho Nicodemos Fabrício Maia já enviou à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e ao Sindicato dos Bancários a cópia da informação prestada pela direção nacional da Caixa. Apesar de ter assumido o compromisso de convocar 5.003 classificados, somente no decorrer do ano passado, a Caixa convocou 5.457 aprovados no concurso para técnico bancário.

No segundo semestre de 2008, o banco eliminou 4.446 postos de serviços terceirizados e extinguiu todos os contratos de prestação serviços em atividade-fim mantidos na modalidade postos de trabalho. ´O atingimento das metas de convocação para substituição de terceirização de serviços não impede a continuidade das convocações de candidatos admitidos em concurso público, conforme necessidade de provimento´, afirma a gerente nacional de Administração do Quadro de Pessoal (Gepes) da Caixa, Ana Regina Rovaris, em ofício de prestação de contas do cumprimento do TAC, enviado aos representantes do MPT em todo o País.

Fonte: Diário do Nordeste