Dados da Pesquisa Emprego e Desemprego (PED), divulgada ontem, mostram uma ampliação expressiva no número de trabalhadores do setor privado que conseguiram emprego com carteira assinada na Grande Fortaleza em fevereiro. De 507 mil em janeiro, eles passaram a 516 mil no mês seguinte, o que representou uma alta de 1,8% de um mês para outro. Segundo analista de mercado de trabalho do Sine/IDT, Mardônio Costa, o resultado é considerado atípico para o período, que, por questões sazonais, registrou baixas no total de ocupados e elevação no número de desempregados.

Em fevereiro, 24 mil postos de trabalho foram eliminados do mercado – uma queda de 1,6% em relação a janeiro. Entre os setores da economia, apenas a construção civil não teve saldo negativo entre admissões e demissões, com a marca 97 mil ocupados, igual a de janeiro. Os demais setores tiveram quedas que variam de três a oito mil vagas. A indústria e o comércio foram os setores mais afetados.

“Com isso, a taxa de desemprego caiu pelo segundo mês consecutivo, chegando a 12,2% em fevereiro”, analisa Costa, ao lembrar que, neste cenário, as mulheres e jovens (18 a 24 anos) ainda enfrentam dificuldades de inserção no mercado de trabalho. “Um dado a se destacar que é a taxa de desemprego na Grande Fortaleza é menor do que nas regiões de Recife e Salvador”, observa o analista. Ele lembra que o tempo em que pessoa demora para conseguir um emprego aumentou de 46 para 47 semanas em fevereiro deste ano.

Fonte: O Povo

Anúncios