O Recurso Extraordinário que questiona a constitucionalidade da exigência do diploma em Jornalismo como requisito para o exercício da profissão entrará na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira, 1º de abril. Para chamar a atenção da sociedade para o julgamento, que será transmitido pela TV Justiça a partir das 14h00 (horário de Brasília), e manifestar repúdio à ação, jornalistas, estudantes e simpatizantes da luta pela qualidade do jornalismo realizam manifestações em todo o País. A ampliação da mobilização começou nesta segunda-feira (30), nas manifestações contra a crise econômica e as demissões.

 


No Ato contra a Crise e as Demissões, realizado na manhã desta segunda-feira (30/03) e organizado pelas centrais sindicais, os trabalhadores de Goiás disseram Sim à exigência da formação superior em Jornalismo como condição para o exercício da profissão. O Sindicato dos Jornalistas de Goiás se fez presente na manifestação, que teve início na Praça do Bandeirante (Centro) e seguiu em passeata rumo ao Palácio das Esmeraldas (sede do governo estadual).

Na manifestação, o presidente do Sindicato, Luiz Spada, disse que os jornalistas integravam a luta contra a crise e as demissões, pois se trata de um problema que também atinge os jornalistas. Ele fez um breve relato da questão do diploma e obteve o apoio dos trabalhadores à luta para que o Supremo Tribunal Federal mantenha essa exigência para a obtenção do registro profissional. Representantes da Campanha em Defesa do Diploma participaram de atos semelhantes em diversos estados.

Nesta terça-feira, jornalistas e estudantes de Jornalismo de Goiás promovem ato público em defesa da formação superior, a partir das 10 horas, em frente ao Tribunal de Justiça e na quarta-feira, uma caravana do Sindicato se fará presente na vigília em frente ao STF enquanto os ministros votam o recurso. Na quarta-feira, o STF também deve julgar a ação do PDT que pede a revogação da Lei de Imprensa.

Ceará – Desde quinta-feira, o Sindicato dos Jornalistas realiza visitas e panfletagens nas faculdades de Jornalismo, veículos de comunicação e em eventos que ocorrem em Fortaleza. Representantes do movimento participaram hoje do Ato contra a Crise e as Demissões, às 15 horas, na Praça do Ferreira. Para terça-feira, às 9 horas, estão programadas uma panfletagem na Assembléia Legislativa e um ato público em defesa do diploma na Praça da Imprensa. Às 14h30, a presidente do Sindicato, Deborah Lima, concede entrevista à TV Fortaleza. No dia 1º, haverá vigília na sede do Sindicato, às 14 horas, com acompanhamento do julgamento do recurso contra o diploma, e, às 19 horas, haverá edição especial do Conversa Afinada, com debate repercutindo o resultado do julgamento com os jornalistas convidados Adísia Sá, Nilton Almeida, Paulo Mamede e Plínio Bortolotti.

Fonte: Rondonia Ao Vivo

Anúncios