Um estudo publicado na revista especializada American Journal of Cardiology mostra que é possível tratar a “síndrome do coração partido” com aspirinas ou remédios cardíacos. A doença, que tem os mesmos sintomas de um ataque cardíaco, como dores no peito e falta de ar, raramente é fatal se tratada nas primeiras 48 horas após os sintomas.

Para chegar a um tratamento, os pesquisadores estudaram 70 pacientes com o problema, que atinge principalmente mulheres de meia idade. No estudo, todos os pacientes se recuperaram, a maioria depois do tratamento, mesmo com 20% deles tendo dado entrada no hospital em estado crítico.

Ficou constatado também que a doença está ligada ao estresse, uma vez que 67% dos pacientes tinham passado por alguma situação estressante física ou emocional – como más notícias sobre um membro da família, uma discussão doméstica, uma doença grave ou um acidente de carro – pouco antes do aparecimento dos sintomas.

Seis deles apresentavam choque resultante de problemas no coração e três tinham ritmos de batimento anormais, que precisavam de tratamento de emergência. Na grande maioria dos casos, a receita médica foi aspirina ou remédios para doenças cardíacas durante a internação no hospital, e todos se recuperaram.

Outra descoberta foi que, diferentemente dos ataques cardíacos, que tendem a ocorrer no inverno, os casos de síndrome do coração partido são mais comuns na primavera e no verão.

Fonte: Abril.com

Anúncios