Na busca pela igualdade social, as mulheres têm demonstrado ao longo da história da humanidade, coragem, determinação e sensibilidade. 

 

Desde o movimento feminino (em 8 de março de 1857), elas vêm alcançando visibilidade na área profissional, política, religiosa e pessoal.

 

Ousadas ou tímidas, introvertidas ou irreverentes, negras ou brancas, alegres ou tristes, pobres ou ricas, elas exercem o papel de “acalentar”, “adoçar”, “contornar”, “minimizar”, “proteger”, “amar” entre tantos outros verbos que definem uma mulher, uma amiga, uma mãe e uma companheira.

 

Desde que a Organização das Nações Unidas instituiu o “Dia Internacional da Mulher”, no ano de 1975, empresas, escolas, igrejas e outras diversas instituições utilizam a primeira semana de março ou todo o mês para homenagearem a “rainha do lar”.

 

Contudo, tudo o que for escrito ou expressado neste mês é pouco se comparado à luta diária por um mundo mais igual, mais justo e mais humano.

 

Fonte: http://www.pindavale.com.br/sitesvale/noticias.asp?id=11731&cod=11

Anúncios