BRASÍLIA – O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (6) que a possível entrada da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na disputa pela Presidência da República em 2010, elevará o nível da campanha. Aécio deu as declarações após encontro com o presidente Lula no Palácio do Planalto.

“Não tenho dúvidas em afirmar que, se for candidata, a ministra Dilma Rousseff é a garantia de uma campanha de altíssimo nível. É um privilégio do Brasil ter alguém da sua qualidade disputando eleições, independente das nossas diferenças, de estarmos em campos opostos”, disse Aécio, apontado como um dos prováveis candidato dos tucanos, partido de oposição, para as eleições de 2010, junto com o governador de São Paulo, José Serra.

Em entrevista na última quarta-feira (4), durante balanço de dois anos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Dilma Rousseff evitou falar se será candidata à sucessão do presidente Lula, apesar da insistência dos jornalistas. “Eu desejo bastante que o governo tenha um candidato, mas se serei eu ou não, não posso dizer”, afirmou a ministra. “Esta resposta vocês não tiram de mim nem amarrada.”, afirmou, na oportunidade.

Na última pesquisa do Instituto CNT/Sensus sobre sucessão presidencial, divulgada terça-feira (3),os tucanos Aécio e Serra caíram na preferência do eleitorado, porém continuam liderando as intenções de voto. O número de eleitores para a ministra Dilma Rousseff aumentou.

De acordo com a pesquisa, o governador mineiro aparece com 23,3% das intenções de voto, contra 18,2% de Heloísa Helena, 16,4% de Dilma e 23,5% de indecisos. Em dezembro, Aécio tinha 25,3%, Heloísa,19,1%, e Dilma 12,9% e os indecisos somavam 26,1%.

Para o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, a queda do PSDB na preferência do eleitor pode ter como causa as divergências internas do partido.

Fonte: http://www.dci.com.br/noticia.asp?id_editoria=5&id_noticia=273096
Anúncios