Além de aumentar de R$ 350 mil para o patamar entre R$ 500 mil e R$ 600 mil o valor do imóvel a ser financiado com recursos do FGTS, o governo também discute acabar com o prazo mínimo de carência para uso do dinheiro do fundo, com o objetivo de abater parte das prestações mensais do financiamento imobiliário.

O pacote, cujo anúncio é esperado para a próxima semana, deve privilegiar nessa resolução famílias com renda mensal de até R$ 2.200. O objetivo é permitir a construção de 1 milhão de novas unidades habitacionais até 2010.

Existe ainda a proposta de criação de um “fundo garantidor”, com o intuito de os bancos financiarem a compra da casa própria para famílias com menor poder aquisitivo.

Não há consenso se o fundo cobrirá somente os primeiros cinco anos ou todo o período do financiamento.

O projeto também prevê que o fundo seja usado para incentivo ao pagamento em dia, dando bônus equivalente ao valor da prestação para quem não atrasar durante determinado período, e ainda sirva para quitar parcelas no caso de demissão do mutuário.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/classificados/imoveis/ult1669u497026.shtml