O PMDB fez e refez a contagem de todos os apoios que espera receber para Michel Temer na eleição de presidente da Câmara na segunda-feira (2.fev.2009). 

A contabilidade foi consolidada por um dos mais experientes congressistas nesse tipo de tarefa, o deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS). “Hoje, agora, posso te dizer com extrema segurança que o nosso piso será de 340 votos. É um piso muito sólido. Não é nem de concreto, é de ferro. Pode dizer que eu me responsabilizo, Eliseu Padilha, para que venham me cobrar depois”, disse o deputado gaúcho no começo da tarde de hoje (30.jan.2009). 

A se confirmar essa afirmação de Padilha, o deputado Michel Temer tem hoje uma folga de 83 votos para se eleger no primeiro turno na segunda-feira. Na Câmara, com 513 deputados, o mínimo para se eleger são 257 votos (50% mais 1). 

O blog pediu a contabilidade de Padilha, partido a partido. Ele disse que daria os números ainda sem desidratá-los para 340. Nesse caso, o PMDB chega a contar 369 apoios. Abaixo, a tabela montada pelo próprio Padilha. Só para registrar, na oposição (que não divulga dados detalhados por esperar por traições em massa), a situação propagada é de 180 votos para Ciro Nogueira (PP-PI), outros 80 para Aldo rebelo (PC do B-SP) e 30 votos para Osmar Serraglio (PMDB-PR). O blog fez um trabalho de aritmética e constatou: tudo somado, dá um total de 659 votos (146 mais do que existem na Câmara). Muita gente está blefando nessa história.

 Fonte: http://uolpolitica.blog.uol.com.br/arch2009-01-25_2009-01-31.html
Anúncios