Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) líquidos no Brasil registraram ingressos de US$ 8,1 bilhões em dezembro, informou nesta segunda-feira o Banco Central (BC). No ano, os fluxos líquidos alcançaram US$ 45,1 bilhões, com crescimento de 30,3% na comparação com o ano anterior, constituindo o maior valor observado na série histórica iniciada em 1947.

Destaque-se, em 2008, que a participação no capital de empresas no País, incluídas as conversões em investimentos, somou ingressos líquidos de US$ 30,1 bilhões, enquanto os empréstimos intercompanhias totalizaram US$ 15 bilhões.

Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram saídas líquidas de US$ 5,4 bilhões no mês. Em 2008, observou-se remessa líquida de US$ 765 milhões na rubrica, comparativamente a ingressos líquidos de US$ 48,1 bilhões, no ano anterior.

Os investimentos em ações e em títulos de renda fixa, ambos negociados no País, apresentaram remessas líquidas de US$ 441 milhões, comparados a US$2,1 bilhões registrados em novembro.

As remessas líquidas de bônus negociados no exterior somaram US$ 57 milhões, decorrentes de amortizações de US$ 48 milhões e ágio de US$ 9 milhões referentes às recompras de papéis soberanos.

Os investimentos em notes e commercial papers apresentaram amortizações líquidas de US$ 1,7 bilhão no mês, acumulando saídas líquidas de US$ 1,6 bilhão em 2008. As amortizações líquidas em títulos de curto prazo atingiram US$ 3,2 bilhões, em dezembro, comparados a US$ 1,2 bilhão no mês anterior, acumulando remessas líquidas de US$ 3,9 bilhões em 2008, comparados a desembolsos líquidos de US$ 3,7 bilhões em 2007.

Fonte: http://br.invertia.com/noticias/
Anúncios