Em encontro agendado para esta segunda-feira no Palácio do Planalto, representantes da CUT (Central Única de Trabalhadores) vão cobrar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a garantia de manutenção dos empregos por parte dos empresários como uma espécie de contrapartida para que o governo continue a fornecer benefícios como a concessão de crédito para o setor.

O presidente da CUT, Artur Henrique, explica que, no encontro, os trabalhadores vão falar a Lula que as centrais sindicais não estão dispostas a aceitar qualquer proposta ligada a flexibilização dos direitos trabalhistas. Segundo ele, a idéia defendida pelos trabalhadores é justamente contrária a essa.

 

“Rechaçamos qualquer idéia que esteja relacionada à flexibilização dos direitos trabalhistas. Ao contrário. Defendemos a o fim dessa discussão como, por exemplo, que se retire de pauta qualquer projeto que proponha isso”, explica.

De acordo com ele, os trabalhadores vão defender as desonerações e a garantia de crédito desde que as empresas firmem compromisso de garantia de manutenção dos empregos.

Também nesta segunda-feira o presidente se reúne com o ministro do trabalho Carlos Lupi para tratar do mesmo assunto: demissões.

O ministro, a exemplo da CUT e de outras centrais sindicais, tem defendido que se estabeleça alguma espécie de compromisso para evitar as demissões em massa.

Fonte: http://br.invertia.com/