Resolvida a sucessão no comando do banco, o Bradesco busca agora formas de reduzir a distância do líder de mercado Itaú-Unibanco. Para isso, deverá analisar a compra de outras instituições e, entre elas, o BicBanco, com que já manteve conversas. Segundo uma fonte próxima ao banco, a proposta foi feita, mas até agora não houve acordo em relação ao preço para o fechamento do negócio.

Mas o BicBanco negou que esteja em negociações para uma aquisição de parte ou a totalidade do controle pelo Bradesco. Especulações sobre a possível operação teve repercussão na Bovespa com os preços das ações do BicBanco chegando a valorizar 9,50%, com pouco mais de 1.500 negócios.

Por meio de nota oficial, a diretoria informou que “não existem negociações, propostas, ou fatos quaisquer” que envolvam “a alienação da totalidade ou de parcela do capital do banco, por parte dos seus controladores”.

Em outubro, mês em que as empresas da Bovespa sofreram desvalorização por conta da crise externa, o preço de mercado do BicBanco chegou a R$ 693,262 milhões, bem distante dos R$ 3,319 bilhões do mês em que realizou a Oferta Pública Inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), um ano antes em outubro de 2007.

Fonte: http://www.monitormercantil.com.br/