As duas instituições desmentem os rumores do mercado que acabaram valorizando as ações do BicBanco

São Paulo e Rio. Resolvida a sucessão no comando do banco, o Bradesco busca formas de reduzir a distância do líder de mercado Itaú-Unibanco. Para isso, deverá analisar a compra de outras instituições, entre elas, o BicBanco, de origem cearense. Segundo uma fonte próxima ao banco ouvida pela Agência Estado, a proposta foi feita, mas ainda não houve acordo em relação ao preço para fechar o negócio.

Conforme a fonte, as duas instituições conversam há alguns meses, mas não há avanço porque o Bradesco quer pagar o valor de mercado do BicBanco, o que não foi aceito pelos controladores. O valor de mercado do BicBanco, cuja atividade principal é o crédito para empresas de porte médio, gira em torno de R$ 1,28 bilhão com as valorizações ocorridas nos últimos pregões, quando o assunto da possível sondagem do Bradesco já era comentado entre alguns operadores. Em outubro, mês em que as empresas da Bovespa sofreram desvalorização por conta da crise externa, o preço de mercado da instituição financeira chegou a R$ 693,262 milhões, bem distante dos R$ 3,319 bilhões do mês em que realizou a Oferta Pública Inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), um ano antes em outubro de 2007. O BicBanco apresentava ao fim do terceiro trimestre de 2008 um patrimônio líquido de R$ 1,714 bilhão. As negociações devem ser retomadas, segundo a fonte, agora que o Bradesco já definiu quem irá suceder o atual diretor-presidente, Márcio Cypriano, que deixará o cargo em março após dez anos. Seu substituto será Luiz Carlos Trabuco Cappi, vice-presidente executivo e diretor-presidente da Bradesco Seguros e Previdência.

Procurado, o Bradesco afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que não comenta rumores de mercado. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o BicBanco informou que ´não existem negociações, propostas ou fatos quaisquer que configurem possíveis desdobramentos envolvendo a alienação da totalidade ou de parcela do capital do Banco por parte dos seus Controladores.´

Fonte: Diário do Nordeste