BRASÍLIA – Um estudo da Universidade Federal do Ceará (UFC) revelou que as pessoas com acesso ao microcrédito tiveram mais chances de escapar da miséria.

“O estudo é de dois pesquisadores do Centro de Pós-Graduação em Economia, o Caen. E diz que quem teve acesso ao microcrédito aumentou em 40% a possibilidade de sair da pobreza”, relata o professor da UFC, Márcio Correa.

O microcrédito é um empréstimo de baixo valor concedido em grupos para ajudar pequenos empresários a começar uma atividade econômica, ainda que na informalidade.

O instrumento de concessão de financiamento surgiu em Bangladesh, um dos países mais pobres da Ásia, quando, nos anos 70, o professor de economia Muhammad Yunus emprestou uma pequena quantia para mulheres fabricarem cestas de bambu.

Os juros baixos e a pequena inadimplência fizeram os empréstimos prosperarem. E as empreendedoras melhoraram de vida. Em 2006, Muhammad Yunus ganhou o Prêmio Nobel da Paz pela iniciativa.

No Brasil, o Banco do Nordeste, que atua na área de apoio ao desenvolvimento, detém a maior fatia do mercado de empréstimos da modalidade. Os bancos privados de maior porte ainda ignoram o segmento.

“Os bancos comerciais preferem deixar o microcrédito para os bancos oficiais porque é caro fazer o modelo operacional com um nível de adimplência adequado”, explica o superintendente de Inclusão Social do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES), Ricardo Ramos.

Fonte: http://www.dci.com.br/