Em dezembro de 2008, houve 29 assaltos a agências bancárias no país, com quatro sequestros e três mortes, segundo levantamento realizado pelos Sindicatos de Bancários ligados à CUT. Com isso, eleva-se a 153 o número de assaltos, a 30 o de sequestros e a 17 o de mortes desde agosto de 2008, quando o movimento sindical passou a fazer a pesquisa.

“Os dados demonstram a falta de segurança a que são submetidos os trabalhadores e clientes das instituições financeiras”, afirma Carlos Cordeiro, secretário-geral da Contraf/CUT. “A segurança nos bancos não pode ter como foco principal o patrimônio das empresas, como ocorre hoje. É preciso colocar a vida de vigilantes, bancários, clientes e usuários como prioridade.”

Os bancos campeões de ocorrências foram Banco do Brasil, Itaú e Bradesco. Na divisão por estados, São Paulo, Rio Grande do Sul e Pará se destacam pelo grande número de assaltos e sequestros.

Desde agosto 2008, 152 assaltos e 17 mortes

 A decisão de fazer o levantamento foi tomada na X Conferência Nacional dos Bancários, realizada em julho, diante do aumento do número de assaltos e de vítimas entre bancários e clientes, por negligência dos bancos, que descumprem as normas de segurança estabelecidas pela legislação.

Uma outra pesquisa foi realizada no início do ano pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) a respeito das péssimas condições de segurança nas agências bancárias. No entanto, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) conseguiu na Justiça uma liminar proibindo a realização da pesquisa. Mesmo assim, os resultados obtidos até então foram entregues pela confederação à Polícia Federal, entidade responsável pela fiscalização da segurança bancária.

Multas superam R$ 18 milhões em 2008

Por descumprirem as normas de segurança nas agências estabelecidas pela legislação, os bancos foram multados em mais de R$ 18 milhões no ano passado pela Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada (CCASP), órgão encarregado da fiscalização coordenado pela Polícia Federal. As principais infrações dos bancos foram a ausência de planos de segurança nas agências e o transporte irregular de numerário.

“Os bancos precisam respeitar a legislação e investir mais em segurança, para assim diminuir a possibilidade de assaltos e sequestros”, defende Carlos Cordeiro, secretário-geral da Contraf/CUT.

Fonte: Contraf/CUT