A estimativa foi feita com base em ocorrências da Delegacia da Mulher.

Mais de uma mulher vítima de violência é atendida por dia na Vara Especial de Atendimento à Mulher, que está funcionando há quase um ano no Centro Social Urbano (CSU) no Bairro Buenos Aires. Segundo informações de Mara Célia, coordenadora do centro, cerca de 50 pessoas estão sendo atendidas ao mês, média de duas ao dia. Mas do início do centro até o final do ano passaram 500 cadastros. Os dados mostram os altos índices de violência.

A estimativa foi feita com base em ocorrências da Delegacia da Mulher. “Inicialmente, esse projeto duraria apenas um ano, mas graças ao empenho do Governo do Estado, as reivindicações dos movimentos sociais foram atendidas e esse Centro permanente foi criado para, junto aos demais órgãos da Rede de Proteção, garantir os direitos da mulher do Piauí. E durante o período de recesso teve equipes se revezando para não deixar de atender”, explicou Mara.

A Vara é voltada ao atendimento a mulheres vítimas de violência de gênero, o Centro de Referência para Mulheres Vítimas de Violência Francisca Trindade, é administrado pela Secretaria Estadual da Assistência Social e Cidadania (Sasc).

O centro é um espaço de atendimento psicossocial e jurídico voltado ao bem-estar da mulher e ao exercício de seu direito à cidadania, prestando serviços de acolhimento, escuta individual, encaminhamento à Rede de Proteção Social, visitas domiciliares, grupos de convivência, oficinas e cursos de capacitação.

A implantação do centro se justifica pelo alto índice de violência contra a mulher, em Teresina. “Violência de gênero contra a mulher ocorre na rua, no local de trabalho e até dentro de casa, pois muitas vezes a mulher convive a vida inteira com o marido sofrendo atos que vão da pressão psicológica à agressão física. E com a lei Maria da Penha o aumento de denúncias é grande”, afirmou.

Fonte: Portal 180 Graus